“Chatô Resgatado” reúne 1.600 frases – que ajudam a compreender melhor o Brasil
Jornalista, escritor, advogado, revolucionário, senador, embaixador, imortal da Academia Brasileira de Letras. A biografia de Assis Chateaubriand converteu-se em produção igualmente rica de frases, reflexões, críticas. Algumas exibem uma atualidade impressionante: “Mostram os congressistas cada vez mais escassa dose de amor às coisas públicas”, criticava Chatô há 50 anos.
Uma parte significativa desta herança – que ajuda a compreender melhor o Brasil – é revelada em Chatô Resgatado - Frases de Assis Chateaubriand, que chegará às livrarias no próximo mês. (O lançamento aconteceu no dia 27 de outubro, às 19h, na Livraria da Travessa do Shopping Leblon, Zona Sul do Rio.) A obra de estreia da Editora Chateaubriand reúne mais de 1.600 frases, distribuídas em 129 temas contemporâneos (economia, política, televisão, sabedoria etc.). Foram garimpadas pelo advogado Fredímio Trotta, com a colaboração de Philippe Bandeira de Mello e Fernando H enrique Chateaubriand, netos de Chatô e sócios na editora.
Depois de dois anos debruçados sobre 12.500 artigos e discursos de Chateaubriand, os autores selecionaram frases antológicas, polêmicas, divertidas, desconcertantes, visionárias. Com esta pluralidade, eles resgatam “o verdadeiro Chatô” – do empresário que construiu o império de comunicações e trouxe a televisão para o Brasil, nos anos 1950, ao embaixador e escritor imortal, engajado na educação das elites e do povo e na obtenção de um Brasil de primeiro-mundo.
A coletânea reconstitui a história do polêmico brasileiro. Recompõe a memória de sua “obra expressiva, sem a qual não teríamos chegado aonde estamos”, destaca Philippe Bandeira. “Por meio de seus pensamentos podemos escrever a grandeza deste homem paradoxal que merecia estar nos livros didáticos da História de nosso país. Este sentimento de justiça, de resgate histórico, nos motivou a fazer o livro”, explica Philippe.
ALGUMAS FRASES:
"Desde que a sociedade se omite, por preguiça, incapacidade ou inépcia, o estatismo vai tomando conta das coisas, obrando por conta própria e mastigando nos seus dentes a cidadania". O caminho para a democracia (artigo).
"O que aterra no Brasil dos nossos dias não é ver os males que apon­tamos, as feridas que esvurmamos, as chagas que descobrimos, mas cons­tatar que elas nos apodrecem o organismo coletivo sem nenhum gênero de reação para extirpá-las. O que se ouve de todos os lados, numa hora amarga como essa é o coaxar dos sapos, na tranqüilidade dos pântanos." A tranquilidade dos pântanos (artigo).
"Não se pode pensar em integridade política espiritual e econômi­ca numa nação destituída de cultura, numa terra de iletrados. E tam­pouco de famintos". O problema da mortalidade infantil, o analfabetismo e o paupe­rismo (discurso).
"A defesa da Amazônia dentro do Brasil é uma das causas que mais reclamam a dedicação de um grande político ou de um homem de jornal". A contra-propaganda do cinema (artigo).
"No fundo, a crise nacional é uma crise de moralidade pública".  O Moloch (artigo).
"A tremenda crise de hoje só pode ser vencida por um processo de educa­ção nacional, graças à criação de novos valores que sirvam o Brasil, como não o servem dezenas de milhares de energúmenos, que, nas posições políticas explo­ram e desvalizam boçalmente o patrimônio material e moral da Nação".
"Uma renascença moral da sociedade brasileira (discurso).
SOBRE CHATEAUBRIAND
Francisco de Assis Chateaubriand Bandeira de Melo, conhecido como Chatô, foi jornalista, escritor, empresário, advogado, professor de Direito, senador, embaixador do Brasil na Inglaterra e membro imortal da Academia Brasileira de Letras. Nascido em Umbuzeiro, na Paraíba, construiu o maior império de comunicações jamais visto na América Latina: no auge, os Diários Associados reuniram cerca de cem jornais, emissoras de rádio e TV, além de revistas.
Chatô também foi responsável pela fundação do Museu de Arte de São Paulo (MASP), em 1947, pelas campanhas da aviação, das artes, da redenção da criança e pela chegada da televisão ao Brasil. Inaugurou, em 1950, a primeira emissora do país: TV Tupi. Figura polêmica, Assis Chateaubriand faleceu em 1968, na cidade de São Paulo.
SOBRE OS AUTORES
Fredímio Trotta - é advogado, escritor, músico e editor. Ao lado do irmão e sócio, Fredímio é advogado dos herdeiros majoritários de Assis Chateaubriand. “Chatô Resgatado” é o seu terceiro livro.
Fernando Henrique Chateaubriand - neto de Chatô, é editor, empresário e escritor. Especialista em mercado de capitais, atua como empresário imobiliário. É amante das artes plásticas, tento estudado História da Arte com o reconhecido professor Mário Schemberg.
Philippe Bandeira de Mello - também neto de Chatô, é editor, escritor, professor, pesquisador, psicólogo, psicoterapeuta junguiano e transpessoal. Como escritor, Philippe é co-autor de Diálogo entre as Civilizações: a Experiência Brasileira, publicado pela ONU e UNESCO; e de Farra do Boi uma parceria com a psiquiatra Nise da Silveira.


SOBRE O LIVRO 
Título: Chatô Resgatado
Subtítulo: Frases de Assis Chateaubriand
Autores: Fredímio Trotta, Fernando Henrique Chateaubriand, Philippe Bandeira de Mello.
Editora: Chateaubriand Ltda.
IBSN: 978-85-61605-001-1
Número de páginas: 437
Número da edição: 1ª edição
Preço estimado: R$ 49.





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.