O livro Abelhas: morfologia e função de sistemas traz a compilação de mais de 40 anos de pesquisa de Carminda da Cruz Landim, especialista em estudos sobre a estrutura biológica e a organização social das abelhas. Este lançamento da Editora Unesp aborda desde a gametogênese até a fase adulta, passando pelo desenvolvimento embrionário e pós-embrionário desses insetos. A obra fornece uma descrição morfológica dos órgãos e sistemas das abelhas, “tanto do ponto de vista anatômico como da organização histológica e da ultra-estrutura das células que as compõem”. A maior parte refere-se a espécies eussociais, com maior atenção a meliponídeos – abelhas neotropicais sem ferrão, com numerosas espécies nativas no Brasil, e relativamente pouco conhecidas do ponto de vista morfológico.
Como explica a autora, o livro não se restringe a uma análise das funções dos insetos em suas colônias. Vai além, ao tratar das especificidades biológicas que condicionam cada abelha a exercer um determinado papel na sociedade. Para isso, Abelhas: morfologia e função de sistemas discorre sobre a origem, a estrutura e a função de cada órgão e sistema presente nesses animais, dividindo seu estudo em 17 capítulos que, por sua vez, estão organizados em três partes distintas: Aparelho reprodutor e gametogênese, Embriogênese e imaturos e Sistemas dos adultos.
Rico na abordagem biológico-social desses insetos e também em ilustrações que orientam o leitor, trata-se de uma obra essencial para todos aqueles que estudam ou simplesmente se interessam tanto pela anatomia como pelo comportamento das abelhas.
SOBRE A AUTORA
Carminda da Cruz Landim formou-se em História Natural pela USP em 1958 e doutorou-se pela mesma instituição em 1963, com tese sobre as glândulas salivares das abelhas. Concluiu sua livre-docência pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras (Unesp – câmpus de Rio Claro) e seu pós-doutorado pela Loyola University (Chicago), sempre trabalhando com morfologia das abelhas. Atualmente é professora titular, voluntária, do Departamento de Biologia do Instituo de Biociências, do câmpus da Unesp em Rio Claro. É bolsista de Produtividade Científica nível 1A do CNPq há vários anos e, em 2006, recebeu o título de Professora Emérita dado pelo Conselho Universitário da Universidade Estadual Paulista.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.