Peça teatral sobe ao palco do Theatro D. Pedro em setembro
Depois de bem-sucedidas temporadas na cidade do Rio de Janeiro, a peça teatral “Quero voltar para Casa”, da atriz paulista Flora Geny, volta à cena na Cidade Imperial, em única apresentação: dia 03 de setembro, sexta-feira, às 21h, no Theatro D. Pedro, Praça dos Expedicionários, s/n°. O espetáculo é encenado pela Cia. de teatro da União Municipal Espírita de Petrópolis (Umep). A direção é do encenador gaúcho Vagner Souza.
“Quero Voltar para Casa” já foi assistida por mais de cinco mil pessoas. É a história de cinco cidadãos comuns, que após sofrerem graves acidentes de carro, acordam numa pousada, onde são tratados com muito carinho. Só que nenhum deles consegue ir embora depois de recuperados do susto. Onde eles estão, afinal? Por que não conseguem encontrar o caminho de volta? Auxiliados pelo administrador da pousada, os cinco, ao mesmo tempo em que dividem seus conflitos íntimos com a platéia, vão, pouco a pouco, descobrindo o real significado do lugar que os acolhe. Uma história contada de forma emocionante e divertida.
O ingresso custa R$ 20,00. Desconto de 50% para maiores de 60 anos, estudantes, portadores de deficiência física e para quem comprar o ingresso antecipadamente nos seguintes locais: sede da Umep (Rua Casimiro de Abreu, 295/A, Centro), Livraria Espírita Umep (galeria do Ed. Imperador, loja 1), Livraria Espírita Oswaldo Cruz (galeria do Ed. Esperanto, Rua Alencar Lima). Classificação etária: 10 anos.
Toda a renda é em prol das obras sociais da Umep, instituição de utilidade pública conforme resolução n° 533 de 29/01/1948 da Câmara Municipal de Petrópolis e decreto-lei estadual n° 7369 de 07/01/1974.
A AUTORA 
Flora Geny nasceu em São Paulo, capital, em 19 de abril de 1929. Seu nome civil era Eugênia Tortejada Jacob. Filha de espanhóis, passou toda a infância em Vila Mazzei, no bairro do Tucuruvi. Nos anos 1940, começou a carreira artística como cantora, sendo crooner da orquestra do maestro Sílvio Mazzuca. Estava nas Rádios Tupi e Difusora quando a televisão foi implantada no Brasil. Então, passou a fazer parte do cast televisivo, tendo participado de inúmeros teleteatros e novelas, dentre as quais destacamos: “A Outra Face de Anita”, “Redenção” e “O Direito dos Filhos” (Excelsior); “Editora Mayo, Bom Dia” e “O Príncipe e o Mendigo” (Record); além de “Os Gigantes” e “Pão, Pão, Beijo, Beijo” (Globo).
No cinema, atuou em “Quase no Céu”; “Chão Bruto”; “Anjo Assassino” e “Independência ou Morte”.
Além de atriz, Flora Geny também foi redatora e fazia adaptações, sendo que seus principais trabalhos foram “Olhos Mortos de Sono”, de Tchecov; “Sherazade” e “As Mil e uma Noites”.
Casada com o também ator e diretor Dionísio Azevedo, o casal teve dois filhos: Dionísio e Noel, que faleceu em um acidente de automóvel, aos 15 anos.
Espírita e altruísta, Flora Geny, após esse drama dedicou-se ao próximo e era muito querida por todos. Ela morreu em 22 de dezembro de 1991, deixando imensa saudade em todos os colegas, fãs e amigos.
FICHA TÉCNICA 
Texto: Flora Geny
Direção: Vagner Souza
Elenco: Elenir Lúcio, Glória Rodrigues, Ilza Karl, José Bitencourt, Marcelo Teixeira, Marcelo Thomas, Márcia Fernandes, Márcio Holder, Rafaela Paixão, Rosane Kneipp.
Concepção de luz e som: Vagner Souza
Operador de som: Maxwell Lidízio
Figurinos: o grupo
Locução: Letícia Karl
Cenografia: o grupo
Maquiagem: Raquel Telles
Preparação corporal: Vagner Souza
Preparação vocal: Letícia Karl
Design gráfico: Clara Gomes
Assessoria de imprensa: Marcelo Teixeira
Produção executiva: Ilza Karl, Marcelo Teixeira e Vagner Souza
Espetáculo beneficente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.