O ator e comediante Paulo Gustavo, após o enorme sucesso de “Minha mãe é uma peça”, sobe novamente sozinho ao palco – dessa vez sem maquiagem nem personagem, mas munido de aguçada visão, humor peculiar, muito talento e alguns recursos especiais – para mostrar como fazer escolhas, expressar-se e administrar medos.
Como bem disse ironicamente Mario Quintana em seu Caderno H, “o pior dos nossos problemas é que ninguém tem nada a ver com isso”. Será? De fato, mais difícil que administrar o mundo ao nosso redor, é administrarmo-nos no mundo. E que mundo! Cada vez mais cheio, mais quente, com mais informações, mais expectativas, medos, neuroses e paranóias também. Só mesmo sendo muito calmo ou indiferente para ficar tranquilo diante dele. Não é o caso do ator e comediante Paulo Gustavo que, após o enorme sucesso de Minha mãe é uma peça, sobe novamente sozinho ao palco – dessa vez sem maquiagem nem personagem, mas munido de aguçada visão, humor peculiar, muito talento e alguns recursos especiais - para mostrar como fazer escolhas, expressar-se, administrar os medos todos (de avião, de ficar sozinho, de perder a saúde), a convivência com as pessoas, a irritação que ela pode provocar, as inevitáveis comparações, a vida afetiva na pósmodernidade com suas noitadas, buscas, caças, competições, erros, inseguranças... não é nada fácil. No entanto, pode ser bem engraçado quando visto de fora. Se é que alguém está de fora; pois se você está vivo nesse mesmo mundo, desconfie de que não. Quem sabe você também não é um Hiperativo? O espetáculo, em comemoração ao mês de aniversário da cidade, é uma produção assinada pelo Petrópolis em Cena.

SERVIÇO
“Hiperativo”
Gênero: Stand-up comedy
Local: Theatro D. Pedro
Dia: 29 de Março (terça-feira)
Horário: 20h
Classificação: 12 anos
Duração: 55 minutos
Ingresso: R$ 40,00 (inteira) e R$ 20,00 (meia para estudantes, idosos, ppdf e clientes Unimed Petrópolis)



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.