Programa Autor por Autor ainda retrata a vida e obra do imortal escritor gaúcho, interpretadas por André Frateschi e Zécarlos Machado
O jornalista e curador da Flip (Festa Literária Internacional de Paraty), Manuel da Costa Pinto, abre esta edição inédita de Autor por Autor esclarecendo que, com o falecimento de Moacyr Scliar, em fevereiro deste ano, “o programa passa a ser uma homenagem ao escritor”. Gravada no final de 2010, a atração leva ao ar uma das últimas entrevistas concedidas pelo consagrado autor brasileiro, neste domingo (27/3), às 19h30, na TV Cultura. Durante o bate-papo com Manuel (consultor literário do programa), ocorrido em seu apartamento em Porto Alegre (RS), em outubro, o escritor fala, entre outros assuntos, sobre seus pais imigrantes, o interesse pela medicina, o surgimento da literatura em sua vida, os prêmios que recebeu ao longo da carreira e a presença da temática judaica em seus livros.
Entremeado pela entrevista, Autor por Autor Moacyr Scliar, uma coprodução da TV Cultura com o SescTV, dirigida por Ricardo Elias, traça um perfil da vida e obra do escritor, interpretado pelos atores André Frateschi, que vive Moacyr, e Zécarlos Machado, como “o inconsciente”. O programa ainda conta com a animação de um trecho do livro Max e os Felinos, em meio aos comentários de Scliar sobre a polêmica envolvendo o autor canadense Yann Martel, acusado de plagiar sua obra.

O escritor
Moacyr Jaime Scliar nasceu em Porto Alegre (RS), no dia 23 de março de 1937. É o filho mais velho do casal José e Sara Scliar, que chegou ao Brasil em 1904, vindo da Bessarábia, na Rússia.
Em 1955, começou a cursar a faculdade de medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, a qual terminou em 1962, iniciando na profissão de médico no ano seguinte. Especializou-se no campo da saúde pública como médico sanitarista e iniciou os trabalhos nesta área em 1969. Em 1970, frequentou o curso de pós-graduação em medicina em Israel. Posteriormente , tornou-se doutor em Ciências pela Escola Nacional de Saúde Pública.
Seu primeiro livro, Histórias de um médico em formação, foi publicado em 1962. A partir daí, não parou mais. No decorrer de sua carreira como escritor, assinou mais de 80 livros de diversos gêneros literários, pelos quais recebeu inúmeros prêmios, entre eles quatro Jabutis. Em 2009, seu romance Manual da paixão solitária foi eleito livro do ano; Sonhos tropicais (1993) e A mulher que escreveu a Bíblia (2000) ganharam na categoria romance; e O olho enigmático (1988), ficou com a categoria contos.
Em 1965, casou-se com Judith Vivien Oliven, com quem teve um filho, Roberto, em 1979.
Publicou o livro de contos O carnaval dos animais, em 1968, que o autor considerava sua primeira obra.
Em 1971, o escritor lançou seu primeiro romance, A Guerra no Bom Fim.
Em 31 de julho de 2003 foi eleito, por 35 dos 36 acadêmicos com direito a voto, para a Academia Brasileira de Letras, ocupando a cadeira nº 31.
Suas obras frequentemente abordam a imigração judaica no Brasil, além de temas como medicina, socialismo e a vida da classe média. Algumas delas foram  publicadas na Inglaterra, Rússia, França, Alemanha, Israel, Estados Unidos, Holanda, Espanha, Portugal, entre outros países.
Scliar escreveu resenhas de livros e ainda colaborou com diversos dos principais meios de comunicação da mídia impressa.
O escritor, que sofreu um acidente vascular cerebral (AVC) em 16 de janeiro deste ano, faleceu no dia 27 de fevereiro, em Porto Alegre (RS), aos 73 anos, vítima de falência múltipla dos órgãos
Classificação indicativa: Livre

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.