Sábado, dia 09 de julho, às 21h, o Theatro D. Pedro será palco da apresentação “Uma História de Vida” com o maestro João Carlos Martins e a Camerata Bachiana. O evento compõem a programação do 11º Festival de Inverno de Petrópolis promovido pela Dell’Arte.
Aos 28 anos, o talento do pianista João Carlos Martins já era reconhecido. Com essa idade, o maestro fez sua primeira apresentação no Carnegie Hall, em Nova York. O músico foi convidado por Eleanor Roosevelt, ex-primeira-dama dos Estados Unidos. “depois disso minha carreira emplacou”, afirma.
Considerado pela crítica mundial como um dos maiores intérpretes do compositor alemão Johann Sebastian Bach, Martins tocou com orquestras do mundo todo. Em seu melhor momento como pianista era capaz de dedilhar mais de 20 notas por segundo.
O pianista se tornou maestro após uma série de problemas nas mãos em decorrência de acidentes, esforço repetitivo, problemas de saúde e violência. Antes de completar 30 anos, Martins sofreu uma lesão no nervo da mão direita em uma partida de futebol contra jogadores de seu time de coração, a Portuguesa.
O músico chegou a recuperar parte dos movimentos com tratamento intensivo, mas na década de 90 foi golpeado na cabeça durante um assalto na Bulgária, onde havia ido se apresentar, e perdeu novamente o movimento das mãos.
Desde então, João Carlos Martins dedicou seus conhecimentos à regência e aos projetos sociais que visam à inclusão de jovens carentes por meio da música.
No carnaval desse ano João Carlos Martins foi homenageado e sua vida virou tema da escola de samba Vai-Vai, que assim ganhou seu 14º título do carnaval de São Paulo. O enredo "A música venceu" levou ao Anhembi os 70 anos de vida do músico, marcada por reviravoltas e superação.
De acordo com a crítica, o maestro João Carlos Martins se eleva a um patamar raramente alcançado por outros músicos brasileiros no século XX.
A Camerata Bachiana faz parte da Fundação Bachiana Filarmônica, contando com músicos selecionados nas melhores orquestras do Brasil. Já atuou por quatro vezes nos EUA onde recebeu o reconhecimento do público e da crítica. É constituída por 2 violinos, 1 viola, 1 cello, 1oboé, 1 clarinete, 1 fagote, 1 flauta e 1 percussão.
O Theatro D. Pedro fica localizado à Praça dos Expedicionários s/nº e a entrada para a apresentação custa R$50,00 (cinqüenta reais) a inteira e R$25,00 (vinte e cinco reais) a meia entrada destinada para idosos, estudantes, portadores de necessidades especiais e todas as pessoas que doarem 1kg de alimento não-perecível para a campanha da solidariedade promovida pela Dell’Arte.

PROGRAMA
WOLFGANG AMADEUS MOZART (1756-1791)
Concerto para piano Nº 21
Andante
Solista: João Carlos Martins

VITTORIO MONTI (1868-1922)
Czardas
Solista: Renato Yokota

GEORG FRIEDRICH HÄNDEL (1685-1759)
"Ombra Mai Fù”
Solista: Jean William

NICOLAI RIMSKY-KORSAKOV (1844-1908)
Czar Saltan - “Voo do Besouro”

SERGEI RACHMANINOV (1873-1943)
Concerto para piano e orquestra Nº 2 em
Andante
Solista: João Carlos Martins

LEONARD BERNSTEIN (1918-1990)
West Side Story – “Maria”
Solista: Jean William

ENNIO MORRICONE (*1928)
“Gabriel’s oboé” – tema de Cine Paradiso
Solista: João Carlos Martins

ASTOR PIAZZOLLA (1921-1992)
Libertango





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.