A partir de 12 de julho, Petrópolis contará com mais um centro de cultura e lazer. Na data, às 18h30, será reaberta a Casa de Cláudio de Souza, pertencente ao Museu Imperial, após um importante processo de restauro que durou cerca de oito meses. A solenidade será aberta ao público, com entrada franca.
O evento contará com uma leitura de peças literárias de autoria do acadêmico Cláudio de Souza. O historiador, professor e diretor de teatro e cinema Flávio Kactuz irá apresentar dois contos do livro Sol e Sombra, publicado em 1945, com o intuito de homenagear o escritor, ressaltando seu estilo inovador e grande originalidade como contista.
O espaço, localizado na Praça da Liberdade, contará com um museu-casa, a biblioteca do acadêmico, que estará aberta a consultas do público, e uma galeria para eventos e exposições temporárias. Também permanecerão na casa as sedes e bibliotecas da Academia Petropolitana de Educação, da Academia Petropolitana de Letras, da Academia Brasileira de Poesia – Casa de Raul de Leoni e do Instituto Histórico de Petrópolis.
Estão previstos ainda eventos periódicos, como leituras de obras literárias, encenação de peças, exposições e outras atividades relacionadas à literatura, ao teatro e à música, áreas às quais Cláudio de Souza se dedicou.
Segundo o diretor do Museu Imperial, Maurício Vicente Ferreira Jr., "o projeto de ocupação da Casa de Cláudio de Souza visa a respeitar os termos da doação do imóvel e coleção ao Museu Imperial, bem como resgatar o legado de um dos mais importantes dramaturgos da primeira metade do século XX. Em suma, trata-se da parceria entre o Museu Imperial e entidades locais para o oferecimento de mais um espaço de efervescência literário-cultural para a cidade de Petrópolis".
A primeira atividade após a reabertura ocorrerá no dia 14 de julho, quinta-feira, às 18h30. Na ocasião, será apresentada a “Releitura dramática de Cláudio de Souza”, uma adaptação de várias peças do escritor. A atividade será coordenada pelo professor Joaquim Eloy e terá participação de atores do Teatro Experimental Petropolitano.

Cláudio de Souza
Natural de São Roque (SP), Cláudio Justiniano de Souza (1876-1954) foi um importante acadêmico e literato brasileiro, tendo presidido a Academia Brasileira de Letras em duas ocasiões (1938 e 1946).
Apesar de ter se graduado em Medicina (1897) e exercido a profissão por anos, sua inclinação para a escrita começou cedo. Ele colaborou com diversos jornais e revistas e, em 1898, publicou seu primeiro trabalho, Os nevropatas e os degenerados. Sua estreia no teatro ocorreu em 1915, com a comédia Eu arranjo tudo. Pouco depois, apresentou Flores de sombra, que se tornou uma obra de grande influência no teatro brasileiro.
Membro-fundador da Academia Paulista de Letras, em 1909, abandonou definitivamente a medicina em 1913, passando a dedicar-se às viagens pelo mundo e à literatura. Foi ainda o fundador e primeiro presidente do Pen Clube do Brasil.

A Casa de Cláudio de Souza
Em 1956, dona Luiza Leite de Souza, viúva de Cláudio de Souza, doou a casa do acadêmico em Petrópolis ao Museu Imperial. A doação incluiu o vasto acervo presente na edificação, como livros, fotografias, móveis, pinturas modernistas e objetos, que ficarão expostos e disponíveis para consulta a partir da reinauguração.
A biblioteca particular de Cláudio de Souza doada ao Museu possui um total de 660 obras, com livros de sua autoria e de outros autores consagrados, incluindo algumas obras raras. A maioria é constituída por peças de teatro brasileiro com dedicatória dos autores. Já os móveis, pinturas e objetos somam 158 peças.

O restauro
O Museu Imperial deu início, em novembro de 2010, à reforma da Casa de Cláudio de Souza, com o objetivo de restaurar e preservar esse patrimônio histórico e cultural não só da cidade, mas também do país.
A casa foi tombada em 1964 pelo do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e, por isso, a obra, que obteve aprovação do órgão, teve como premissa preservar e recuperar aspectos originais. Um exemplo foi a recuperação da pigmentação original nos salões do primeiro pavimento, onde a mesma coloração foi utilizada na repintura das paredes.
A intervenção contou ainda com: reparação das estruturas do telhado e de escoamento de água; substituição de janelas e esquadrias, mantendo os padrões originais; recuperação da serralheria de janelas e portas; repintura de paredes e tetos; troca de pisos; revisão de toda a parte elétrica; limpeza e consolidação dos azulejos decorativos externos. O Museu Imperial também reforçou a segurança da casa, com a instalação de um sistema de monitoramento por câmeras.

SERVIÇOS
Solenidade de Reabertura da Casa de Cláudio de Souza
Data: 13 de julho de 2011 – 18h30
Endereço: Praça de Liberdade, 247, Centro, Petrópolis
Entrada franca

Um comentário:

  1. Bom dia,
    Gostaria de sugerir que o Jornal Petrópolis em Cena, tivesse um cantinho dedicado aos atelies dos artistas da região.Seria uma maneira de incentivar aos moradores e visitantes uma visita a esses locais.
    Anexo meu blog para que vejam o meu..Aguardando uma visita!!

    http://ceramicasolangemano.blogspot.com/

    Grata
    Solange Mano

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.