O SESI Petrópolis vai celebrar em grande estilo o Dia Nacional do Samba, nesta sexta-feira, dia 2 de dezembro: a atração da vez é ninguém menos que Luiz Ayrão. O cantor e compositor,  que fez sucesso com músicas como O Lencinho, Porta Aberta, Nossa Canção, Águia na cabeça e Os amantes, sobe a serra para uma apresentação especial no SESI, na Avenida Barão do Rio Branco, 2.564, às 20h. Os ingressos custam R$ 20 e estão à venda no próprio clube.
Cantor, compositor e também escritor, Luiz Ayrão nasceu no bairro do Lins de Vasconcelos, no Rio de Janeiro. Filho do músico e compositor Darcy Ayrão (Viveu de 1915 à 1955), cresceu em ambiente musical. Na casa de um tio, Juca de Azevedo, saxofonista, costumava encontrar Pixinguinha e João da Baiana, que tocavam composições do maestro e professor Ayrão.
Aos 20 anos, através de seu tio compositor, conheceu vários artistas de renome, entre eles Ataulfo Alves, Humberto Teixeira, Osvaldo Santiago e Alcir Pires Vermelho. Posteriormente, formou-se em Direito e atuou durante alguns anos na profissão de Advogado e Procurador do Banco do Estado da Guanabara.
        Em 1963 teve sua primeira composição gravada, Só por Amor, interpretada por Roberto Carlos, que logo depois também viria a gravar, em 1966, Nossa Canção, considerado o primeiro sucesso romântico do cantor. Nessa mesma época, compôs várias músicas que foram gravadas por diversos artistas da Jovem Guarda.
        Em 1968 participou do festival "O Brasil canta no Rio", da TV Excelsior, com a composição Liberdade! Liberdade.... Em 1969, a convite de Rildo Hora e Romeu Nunes, esta música foi lançada em compacto simples pela RCA Victor. Pela mesma gravadora lançou mais três compactos simples com as músicas Vou e Duvido...duvido..., Igreja Vazia e Às Margens do Rio, Hoje está Fazendo um Mês e Foi a Noite, Sozinho na Multidão e Seis e Dez e por fim um compacto com o samba Puxa que Luxo! , de sua autoria.
        No ano de 1973 gravou um compacto simples com a música Porta Aberta, composição de sua autoria em homenagem à Portela, considerado seu primeiro sucesso como cantor. Um mês e meio depois, já em 1974, devido ao grande sucesso do compacto, a gravadora Odeon lançou seu primeiro LP, Luiz Ayrão, do qual se destacaram as faixas No silêncio da Madrugada e Porta Aberta.
        De 1974 a 2008 foram 22 discos, que consagraram o músico. O último CD, lançado em 2008 através de seu próprio selo, foi A Vida é uma Festa. A música que abre o CD, de mesmo nome, é o destaque do álbum, que contém mais seis músicas inéditas e regravações de outros artistas, como O Show tem que Continuar (Arlindo Cruz, Sombrinha, Luiz Carlos da Vila), Velocidade da Luz (Tundy). Outro destaque deste mais novo trabalho é a adaptação feita em homenagem a Carmem Miranda, a faixa Tic Tic Bum.
        O Samba é um dos ritmos musicais mais cultuados em toda a história da cultura brasileira e mundial.  O Brasil é conhecido em todo mundo pela sua cultura, futebol, carnaval e por ser o País do Samba. O Dia do Samba (2 de dezembro) foi instituído pela Câmara de Vereadores de Salvador em 1940, como homenagem ao compositor mineiro Ary Barroso, pela criação “Aquarela do Brasil” – a música mais conhecida e executada fora do país. Mais informações através do site www.firjan.org.br/sesicultural ou através do 0800 0231 231.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.