Entidades representativas do setor de Turismo, empresários do ramo, autoridades municipais e estaduais estarão reunidos no dia 02 de fevereiro, às 14 horas, no Cine Teatro do Museu Imperial, durante o Seminário “Estrada Real e as Oportunidades para o Estado do Rio de Janeiro”. A idéia é contextualizar o estado do Rio com seus oito municípios participantes, nas ações do Instituto Estrada Real, um dos maiores instrumentos de fomento do Turismo. 
O prefeito Paulo Mustrangi vai abrir a programação, que prossegue com a mesa redonda em torno do tema “Experiência da Estrada Real no Estado do Rio de Janeiro e Novas Perspectivas”, da qual participam Audir Santana – subsecretário de Estado de Turismo, Aníbal Duarte – diretor de Turismo da Fundação de Cultura e Turismo de Petrópolis e Antonio R. M. Bastos—presidente do Fórum Estadual de Secretários Municipais e Turismo do RJ.
Em seguida haverá apresentação do tema “Como melhor aproveitar as oportunidades geradas pelos mega eventos esportivos na área de influência da Estrada Real”, por Baques Vladimir Carvalho Sanna, diretor geral do Instituto Estrada Real. Em seguida será o momento de discussão e propostas das ações. O seminário é fruto da iniciativa da Prefeitura de Petrópolis através da Fundação de Cultura e Turismo junto à Secretaria de Estado de Turismo. 
A Estrada Real vem sendo construída como um dos roteiros mais plurais do país. Quase duzentos municípios com características próprias, diversidade climática, geográfica e étnica, representam enorme potencial turístico para os três estados. O Instituto Estrada Real foi fundado em 1999 e suas ações voltadas para o diagnóstico dos potenciais de cada região com vistas ao desenvolvimento turístico, transformaram o projeto em Programa Estrada Real, apoiado pelo Ministério do Turismo.  Fazem parte 199 municípios de Minas Gerais, São Paulo e oito do Estado do Rio: Magé, Petrópolis, Levy Gasparian, Areal, Três Rios, Paraíba do Sul, Paraty e Rio de Janeiro. Tudo começou no Estado de Minas Gerais como um dos projetos do governo, até que agentes da iniciativa privada se tornaram parceiros, gerando divisas para implantação de novas ações, a exemplo da FIEMG--Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais.

OS CAMINHOS DA ESTRADA
Há mais de 300 anos, uma estrada ligando o litoral ao interior de Minas Gerais levou à descoberta de uma das maiores reservas de ouro e diamantes do mundo. Três grandes caminhos foram controlados pela Coroa Portuguesa e se tornaram as primeiras estradas oficiais do Brasil, ligando Paraty, Rio de Janeiro e Arraial do Tejuco (Diamantina) à região de Vila Rica (Ouro Preto). O chamado Caminho Velho, ligando Paraty a Ouro Preto, data de 1699. Alguns anos depois o governo português incentivou a abertura de uma segunda via, o Caminho Novo, que passa por Petrópolis e data de 1704, ligando o Rio de Janeiro a Ouro Preto. A partir de 1729, com a descoberta das pedras da região, surgiu a terceira opção, o Caminho dos Diamantes, entre Ouro Preto e Diamantina. 

FONTE: Ascom Fundação de Cultura e Turismo de Petrópolis

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.