Cidade é destaque em Tubo de órgãos, no Estado

Começou hoje (25), em Petrópolis, o XXI Encontro Nacional de Organistas e o XII Encontro Latino-Americano de Organistas e Organeiro. É a primeira vez que a cidade sedia os eventos, que é promovido pela Associação Brasileira de Organistas. 30 profissionais de todo o país estão participando. Petrópolis é destaque no interior do Estado em órgãos de Tubo, em números, só perde para a Capital, Rio de Janeiro. São cinco instituições que possuem Órgãos de Tubo: Catedral São Pedro de Alcântara, Igreja Luterana, Capela da Universidade Católica de Petrópolis, Igreja do Sagrado Coração de Jesus e Instituto dos Canarinhos de Petrópolis.
“Um tubo de órgãos novo, custa em média de R$ 600.000,00 a R$ 800.000,00. Por isso, o número reduzido de Órgãos de Tubos no Brasil. Termos cinco deles em Petrópolis é muito expressivo”.
Atualmente, a cidade conta com apenas um organista, Marco Aurélio Lischt. O que deve mudar. Ele diz que o instrumento está sendo muito valorizado e que a tendência é que o mercado cresça. Hoje, nas aulas de órgãos que ele ministra no Instituto dos Meninos Cantores de Petrópolis, são quatro alunos. As aulas são individuais e para ser um organista é preciso se dedicar pelo menos durante quatro horas diárias. Ao longo de 12 anos ministrando aulas no Instituto, Lischt já formou profissionais, que seguiram carreira e estão atuando no Brasil ou exterior.
A intenção é fazer com que os órgãos de Petrópolis funcionem a todo o vapor. Em 2010, o Tubo de órgãos da Catedral foi restaurado, depois de 20 anos sem ser tocado. Agora, a mobilização é para que o Órgão da Igreja do sagrado Coração de Jesus também seja reparado. “Estamos montando um projeto para a captação de recursos, queremos incluir a restauração na Lei de Incentivo fiscal para as empresas”, comenta o Organista Marco Aurélio Lischt.
O XXI Encontro Nacional de Organistas e Organeiros foi aberto nessa quarta-feira. De acordo com a Associação Brasileira de Organistas, o Brasil possui cerca de 130 profissionais na área. A escolha da cidade para a sede do Encontro foi motivada, principalmente, pela restauração do Órgão de Tubos da Catedral São Pedro de Alcântara, onde foi marcada a primeira apresentação, com o organista Alexandre Rachid, professor de órgão da Escola de Música da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Na quinta-feira, as apresentações vão ocorrer na Capela de Sion, da Universidade Católica de Petrópolis. Na sexta-feira, às 20h, acontece o encerramento na Catedral São Pedro de Alcântara, com apresentação especial do organista e maestro, Marco Aurélio Lischt.
Segue a programação:
PROGRAMA (Catedral /Capela Sion - UCP)
Dia 25 - quarta-feira
9 h: Abertura: Miriam Carpinetti - Presidente da ABO.
9h30: Mesa "Composição para órgão no Brasil" (Prof. Dr. Ricardo Tacuchian, UFRJ
“Vantagens e limitações do compositor não organista para o repertório de órgão”; Prof.
Dr. Roberto Macedo, UFRJ “A importância do órgão Tamburini da E.M. da UFRJ e a
revitalização do curso de órgão a partir da década de 80 como um fator de incentivo à
criação de obras voltadas ao órgão; Aspectos composicionais das 'Bem Aventuranças'
voltados para esse instrumento específico”; Ms. Fernando Lacerda Simões Duarte,
UNESP "A música sacra para órgão e com acompanhamento de órgão de Furio
Franceschini: Normas e criatividade no contexto da restauração musical católica").
12 h: *Concerto: Benedito Rosa, Márcio Arruda, Renato Koch, Coro Municipal de
Petrópolis, Mto. Paulo Afonso Filho.
15 h: Palestra: “Organo Pleno e Retórica Musical nos Prelúdios e Fugas de J. S. Bach”
(Profª Drª Gertrud Mersiovsky - UFRJ).
17 h: Mesa “Novos Rumos” (Felipe Radicetti, UFRJ; Ms. Miriam Carpinetti, UNICAMP;
Ms. Marcos Santana, UNEB/PPGEL)
20 h: *Palavra de saudação: Príncipe Dom Antonio de Orleans e Bragança. Concerto:
Alexandre Rachid.
Dia 26 - quinta-feira
8h30: Masterclass: “A improvisação como ferramenta da composição musical” (Prof.
Dr. Alexandre Rachid - UFRJ).
10h30: Visita à Igreja Matriz do Sagrado Coração de Jesus (órgão Klais).
12 h: *Concerto: Alexandre Fritzen da Rocha, Antonio Henrique, Benedito Rosa,
Márcio Arruda,
14h30: Mesa de Organaria (J. Carlos Rigatto [São Paulo/SP] “Relato sobre a
restauração dos órgãos Berner da Catedral de São Pedro de Alcântara e Tamburini da
Escola de Música da UFRJ”; Renato Koch [Canoas/RS] “A restauração do órgão de
bambú (1968) do Pe. Odilon Jaeger, SJ em Porto Alegre; Georg Jann [Rodeio/SC] "O
Novo Órgão do Mosteiro dos Beneditinos de Vinhedo")
17 h: Palestra: "Reconstrucción y reforma de una gran fachada en zona de sismos -
temblores de tierra - Auditorio en San Juan, Argentina" (Sérgio Silvestri - Uruguay)
20 h: *Concerto: Gertrud Mersiovsky
Dia 27 - sexta-feira
8h30: Palestra: "A interação 'registração-orquestração' na elaboração de um concerto
para órgão e orquestra" (Prof. Dr. Alexandre Rachid - UFRJ)
10h30: Visita à Capela Sion da UCP Petrópolis (órgão Cavaillé-Coll / Convers)
12 h: **Concerto: Alexandre Fritzen da Rocha, Antonio Henrique, Márcio Arruda,
Renato Koch.
14 h: Assembleia geral da ABO (Salão paroquial da Igreja Luterana)
17 h: Comunicações: "Um estudo com três organistas realizando leitura à
primeira vista ao órgão' de Fritzen Rocha” (Ms. Alexandre Fritzen da Rocha,
UFRGS); "Processo composicional da peça 'Deus da guerra' de Carpinetti" (Ms.
Miriam Carpinetti, UNICAMP)
20 h: *Concerto: Marco Aurélio Lischt
Dia 28 - sábado
Visita a pontos turísticos de Petrópolis: Palácio de Cristal, Palácio Rio Negro, Museu
Imperial, Casa de Santos Dumont.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.