Quinta-feira, dia 02 de agosto, a partir das 20h, a cantora baiana Margareth Menezes sobe ao palco do Theatro D. Pedro para a abertura nacional da turnê “Para Gil e Caetano”, sob a produção local da Xdaquestão Produções.
No ano em que completa 25 anos de carreira, a cantora Margareth Menezes escolhe Petrópolis para apresentar um projeto inédito e especial dedicado a Gilberto Gil e Caetano Veloso e fará na Cidade Imperial o lançamento da turnê nacional "Para Gil e Caetano", que vai percorrer todas as capitais brasileiras e em seguida vai para a Europa.
Entregando-se ao repertório dos dois cantores, compositores, brasileiros e também baianos, mais conhecidos do país, que completam 70 anos em 2012, Margareth traz um som aconchegante e acolhedor diferente dos ritmos baianos tão conhecidos em trios elétricos.
 “Gilberto Gil e Caetano Veloso são grandes referências para o meu trabalho. Os meus 25 anos de carreira devem muito aos 70 anos de vida que ambos comemoram. Esta é a minha forma de agradecer e homenagear”. Comenta a artista, que já gravou diversas músicas dos dois e, inclusive, contou com participações deles em trabalhos próprios. Com Caetano, ela dividiu a canção Vestido de Prata no CD Gente de Festa (1995). O dueto com Gil em Mulher do Coronel foi gravado no CD Naturalmente (2008).
“Caetano tem a facilidade de surpreender. Sua criatividade, inquietude e irreverência influenciaram a performance de várias gerações. Tudo que ele viveu e da forma como viveu o transformou numa muralha zen anticonvencional. Ele sempre deixou no ar que poderia ser antagônico às expectativas. Já Gilberto Gil é um grande mestre, uma sabedoria imensa. É alguém que sabe quem somos, de onde viemos e aponta o futuro através de sua arte.”
Conhecida pela estética afropop e pelos shows dançantes, Margareth Menezes vai incluir no repertório canções de Gil, como Estrela e Expresso 2222, e de Caetano, como Luz do Sol e Sete Mil Vezes. No show, a cantora convida o cantor e compositor baiano Alexandre Leão, que já compôs músicas para Margareth e tem uma forte ligação com a família Veloso. O guitarrista Théo Silva e os percussionistas Guto Messias e Daniela Pena compõem a banda.
Na apresentação Margareth Menezes traz seu lado que poucos conhecem e as músicas que gosta de tocar e cantar em sua casa e com os amigos em um show intimista e acústico.
Menezes nasceu em Boa Viagem, região pobre de Salvador. Filha de Dona Diva, uma costureira e doceira, que veio da Ilha de Maré, e Adelício Soares da Purificação, motorista, falecido em maio de 2009, é a mais velha de cinco irmãos e, em 1977, aos quinze anos, ganhou uma guitarra e começou a cantar no coral da Igreja da Congregação Mariana da Boa Viagem, em Salvador.
Morava na península Itapagipana e, desde pequena, foi cercada pelo conjunto histórico da cidade de Salvador, como Igreja de Nosso Senhor do Bonfim, e recebeu forte influência artística da própria família, pois, a mãe gostava muito de samba de roda e, os eventos na Ilha da Maré eram realizados na casa da avó da cantora, que desempenhava um papel de "produtora cultural".
Em 1980, a cantora conheceu o músico e compositor Silas Henrique, com quem iniciou sua carreira de atriz, apresentando-se com a peça "Ser ou Não Ser Gente", no Teatro Vila Velha, em Salvador.
No ano seguinte, estreia a peça "Máscaras", de Menotti Del Picchia, sob a direção de Reinaldo Nunes. Posteriormente, atua na peça do teatrólogo russo Nikolai Gogol, "Inspetor Geral", que contou com a direção de Paulo Conde e a participação do grupo "Troca de Segredos em Geral" e ficou um ano em cartaz.
Três anos depois, o grupo teatral, ao lado de Menezes, montou uma lona de circo na Praia de Ondina, esse espaço cultural ficou conhecido como circo "Troca de Segredos". O local abrigou apresentação de peças teatrais, adultos e infantis, além de receber apresentação de grupos musicais dos mais diversos gêneros. Paralelamente a sua carreira de atriz, Margareth Menezes, começa a se apresentar em bares da cidade, sem pretensões de se tornar uma grande cantora.
Ao lado da Orquestra do maestro Vivaldo da Conceição, apresentou-se para um público de 1 500 pessoas, sendo ovacionada pela primeira vez. É então, que passa a se apresentar, ao lado de Silas Henrique, nos "Centros Sociais Urbanos", espaço onde as comunidades participam de ações socioeducativas e projetos de fortalecimento da cidadania e desenvolvimento social.
Foi no ano de 1987 que a cantora gravou o primeiro single, lançado como LP, ao lado de Djalma de Oliveira, "Faraó (Divindade do Egito)", vendendo mais de 100 mil cópias. Após isso, Menezes deu início à carreira bem-sucedida, lançando quatorze álbuns, sendo que dois desses, Ellegibô e Kindala, alcançaram o topo da Billboard Word Albums, enquanto Pra Você e Brasileira Ao Vivo: Uma Homenagem Ao Samba-Reggae, receberam indicações ao GRAMMY Latino e GRAMMY Awards, respectivamente.
Menezes lançou recentemente Naturalmente Acústico, álbum que mostra um lado mais pop da cantora. Ela ainda lidera o movimento "Afropop Brasileiro", que visa preservar e promover a cultura afro-brasileira, e criou a "Fábrica Cultural", uma organização não governamental que ajuda crianças e adolescentes carentes. Todos os anos, a cantora leva seu trio elétrico, um dos mais tradicionais, às ruas de Salvador.
Vencedora de vários prêmios nacionais e internacionais tais com: Prêmio TIM de Música Brasileira, Grammy Awards, Grammy Latino, Troféu Imprensa, Troféu Caymmi, Prêmio de Música Brasileira, Troféu Axé de Turismo, dentre outros a artista é fiel às raízes e mistura na música elementos africanos, brasileiros, indígenas e pop, num movimento que denomina Afropop Brasileiro.
A classificação indicada para o show é de 12 anos e os ingressos já estão à venda na bilheteria do Theatro D. Pedro que fica localizado Praça dos Expedicionários s/nº, Centro – Petrópolis/ RJ. A entrada custa R$60,00 (sessenta reais) a inteira e R$30,00 (trinta reais) a meia entrada destinada a estudantes, idosos, deficientes físicos, associados Unimed e clientes dos apoiadores com filipeta carimbada.

DISCOGRAFIA
Durante sua trajetória, Margareth Menezes lançou dez álbuns de estúdio, três álbuns ao vivo e um acústico. Em seus primeiros álbuns, ela se consagrou como a "diva do afropop", sendo elogiada por publicações em todo o mundo como a Billboard e a Rolling Stone.
O primeiro single da cantora, ainda lançado no formato LP, foi "Faraó (Divindade do Egito)", com Djalma Oliveira, o primeiro samba-reggae gravado no Brasil que, vendeu mais de 100 mil cópias. Em seu primeiro álbum auto-intitulado ela interpreta canções com ritmos bem baianos, influenciado pela descendência africana e a presença da cultura afro-brasileira.
O segundo álbum, Elegibô, foi premiado pela Billboard e, vendeu mais de dez mil cópias nos Estados Unidos, sendo considerado um dos cinco melhores álbuns de 'música do mundo'. Em 1990, lança Um Canto pra Subir, que recebeu grande influência pop, traduzido em samba, funk e samba-reggae.
O álbum sucessor, Kindala, trouxe ritmos dançantes em 1991, vendendo 10 mil cópias na França. Em Luz Dourada, a cantora obteve grande sucesso na Suíça, onde, em apenas duas semana após o lançamento, o álbum vendeu mais de 2 mil cópias.
Tete a Tete Margareth e Brasileira ao Vivo: Uma Homenagem ao Samba-Reggae, foram os últimos álbuns lançado por Menezes, que seguiam a linha dos demais álbuns, apenas samba-reggae e ritmos mais africanos. Pra Você, que recebeu indicações ao Grammy, trouxe Menezes mais voltada para ritmos calmos, como o pop, soul e balada. Naturalmente, lançado em 2008, fez com que a cantora mergulhasse em seu interior, e mostra-se seu lado mais íntimo, trazendo regravações de grandes canções da música popular brasileira, o álbum não apresenta nenhuma canção de gênero afro-pop, axé ou samba-reggae.
Em 2010, Menezes apresenta Naturalmente Acústico, um projeto lançado nos formatos de disco compacto, disco digital de vídeo e blu-ray, baseado em seu último álbum. Esse apresenta apenas um samba-reggae e uma canção em castelhano. Em agosto, o site Terra Sonora disponibilizou o álbum para download digital e streaming, o que fez com que o álbum recebesse destaque no site, como um dos mais ouvidos pelos usuários.
Em 2012, foi convidada pelo músico Zeca Baleiro, e assim fez uma participação especial na canção Último Post, do CD O Disco do Ano do cantor e compositor maranhense.

PRÊMIOS
1985 - Troféu Caymmi - "Banho de Luz" - Melhor intérprete - Venceu
1986 - "Beijo de Flor" - Melhor show do ano - Venceu
1988 - Troféu Imprensa - Margareth Menezes (álbum)                - Melhor disco - Venceu
Margareth Menezes- Melhor cantora - Venceu
1993 - Grammy Awards - Kindala             Melhor álbum de 'World Music' - Indicado
2000 - Troféu Dodô e Osmar - Margareth Menezes - Melhor cantora -                 Venceu
2003 - "Dandalunda"      Melhor música - Venceu
Margareth Menezes     - Melhor cantora - Venceu
2004 - Melhor cantora - Venceu
2006 - Grammy Latino - Pra Você (álbum) - Melhor álbum brasileiro de pop       - Indicado
2007 - Grammy Awards - Brasileira Ao Vivo: Uma Homenagem Ao Samba-Reggae         Melhor álbum de 'World Music'                - Indicado
Melhor álbum de música regional brasileira - Indicado
2010 - Troféu Axé de Turismo - Margareth Menezes - Destaque artístico - Venceu
2011 - Prêmio de Música Brasileira - Melhor cantora - Indicada

SERVIÇO
Margareth Menezes - Abertura nacional da turnê “Para Gil e Caetano”
Data: Quinta-feira, 02/08/2012
Horário: 20h
Local: Theatro D. Pedro
Praça dos Expedicionários s/nº
Centro – Petrópolis/ RJ
Classificação: 12 anos
Ingressos:
Inteira: R$60,00 (sessenta reais)
½ entrada: R$30,00 (trinta reais) - Estudantes, idosos, deficientes físicos e menores de 21 anos.

Produção Local: Xdaquestão – Maurício Araújo
(24) 2231-9707/ (24) 8101-4558/ (21) 8203-3039

Fonte: Assessoria Comunicação Livre / Carla Coelho

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.