Livraria Nobel convida para o lançamento do livro Essas coisas de adulto... 
às vezes bagunçam a cabeça da gente, de Laell Rocha

Dia 18/05 (sábado), às 10h30, na Nobel – Centro (Rua 16 de março, 399) e às 15h30, na Nobel - Itaipava (Estr. União e Indústria, 10.395 –
loja 2/Shopping Tarrafas).
Um evento com contação de histórias, teatro, música e muita diversão!
  
       
Esta história é muito especial como a de todas as crianças que, desde cedo, adquirem na família e em seu convívio social o interesse em fazer a leitura do mundo que as rodeia, sem ao menos conhecerem as palavras, frases ou expressões, pois é próprio de suas formações desejarem o conhecer, decifrar a curiosidade, de modo a refletir novos conhecimentos. É no processo das observações cotidianas que as crianças formam ideias e palavras, socializando-se com o mundo.
O menino desta história de Laell Rocha é assim, sempre tentando decifrar e entender o que os adultos falam, muito especial e sonhador, gosta de criar objetos e brinquedos de papel através de dobraduras; e com isso ele cria histórias e viaja em um mundo mágico. Como toda criança, adora brincar de ser um super-herói. E você precisa ler esta história para conhecer as aventuras desse super-menino que desvenda os mistérios do jardim de casa onde construiu uma cabana e um balanço no pé de mangueira, e sempre sobe em seus galhos pra ficar olhando o que acontece depois do muro de casa.
Laell Rocha em suas próprias palavras: Na canção de um conto, conheci o encantamento dos contos e causos. E foi na palavra falada e cantada, que aprendi a fazer rimas, versos e prosas. Na prosa dentre as conversas ouvia as mais belas histórias e guardava todas na memória, e repartia com meus amigos de infância que adoravam ouvi-las, e numa mistura de versos e ladainhas, manifestava a nossa raiz folclórica. E, nessa misturança de contos e encantamentos na imaginação fértil de minha infância, a história acontecia.
Nasci em Petrópolis-RJ. E foi nesta cidade linda e cheia de encantos que construí minha história pessoal. Sou amante do folclore brasileiro, e desde muito pequeno gostava de ouvir lendas e contos ao pé do fogão à lenha e nas fogueiras do quintal de casa, que me inspiravam através das sombras projetadas nas paredes e nos ruídos do encantar da noite outras histórias que estavam guardadas em minha alma, e em cada conto um encontro e um encanto que me inspirava a criar outros mitos, outros lugares, outras histórias que somente minha alma conhecia. De minha infância acumulei histórias e boas lembranças, e foi então que tive a ideia de colocá-las todas no papel e dividir com todos aqueles que como eu gostam de sonhar e viver o mundo mágico e encantado do faz de conta e agora vivo fazendo Arte no Era Uma Vez...


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.