“Minha vida bem que daria uma fotonovela!”

Esta afirmação da personagem inspira a trilha sonora, cenários, figurinos e adereços em uma construção que busca inspiração nas décadas de 60 e 70 com as influências plásticas e sonoras desse período tão efervescente na cultura mundial.
“Ciúme” é a nova produção da Cia Teatral Língua de Trapo, com a performance da atriz Iara Roccha, apresentando este monólogo, inspirado na linguagem das fotonovelas. “Ciúme”, obra ficcional inspirada na estética das fotonovelas, suscita questões do universo feminino e da nossa cultura brasileira, nas questões relativas a realidade da mulher no Brasil,  a autonomia da mulher no mercado de trabalho, liberdade sexual, repressão e violência contra a mulher .
Com autoria de Paulo Marcos Carvalho, o espetáculo da Cia Teatral Língua de Trapo estreou em outubro de 2012 na Caixa Cultural do Rio de Janeiro e logo após se apresentou no FITA (Festival Internacional de teatro de Angra dos Reis). A trama aborda a vida de uma mulher que tem mania de fotonovelas. Aos poucos, ela vai misturando realidade e fantasia nas histórias que conta de sua vida. Histórias que todo mundo já foi ou será vítima, algoz, testemunha, cúmplice, inocente ou culpado.
Paralela a história contada e vivida pela personagem vai sendo projetada uma fotonovela que aos poucos vai se mesclando com a história da personagem, fazendo com que se estabeleça a dúvida do que é realidade e o que é ficção. As duas histórias, aos poucos, caminham para um desfecho surpreendente.

HISTÓRICO DA CIA
A Cia Teatral Língua de Trapo – Ponto de Cultura desenvolve seus estudos e pesquisas sobre o imaginário da cultura brasileira. Com tais estudos e pesquisas busca-se construir instrumentos teóricos de inspiração e de criação artística a partir de uma reflexão sobre o herói anônimo, aquele a quem genericamente chamamos o homem do povo. Neste sentido a cultura brasileira tem sido o lugar no qual buscamos olhar para o mundo do homem comum para daí extrair nossa poética. O homem “ordinário” é, portanto, o sujeito e o objeto de nosso trabalho. É a partir dele e com ele que construímos nossos dramas, nossas tragédias e nossas comédias. Nossos espetáculos são tecidos nas tramas dos pequenos gestos silenciados e dispersos de nossa cultura, em atos éticos, políticos e poéticos!
O espetáculo Ciúme teve sua estreia nacional na Caixa Cultural do Rio de Janeiro em  outubro de 2012 e no mesmo ano se apresentou no FITA ( Festival Internacional de Angra do Reis) . Em 2014 fará sua reestreia no Theatro D. Pedro nos dias 3 e 4 de abril e no Teatro Pascoal Guida em  Cachoeiras de Macacu , dia 0 5 de abril.

SOBRE A ATRIZ
Iara Roccha é atriz, poeta, coordenadora do Ponto de Cultura Língua de Trapo - Projeto - Independência é Arte/ diretora de produção, registro profissional nº 33.093 –Tabladiana, fez oficinas com Bia Junqueira, Ricardo Kosovsk, vários coletivos da cena brasileira, dentre eles: Tá na Rua, Intrépida Trupe e Nós do Morro. Atuou em diversos espetáculos desde 1998 além da participação em alguns curtas-metragens.  Fez também um extenso trabalho como Diretora de Produção em eventos culturais no Estado do Rio de Janeiro. Criou e dirige a Escola Livre de Teatro Língua de Trapo para crianças e jovens. Organizou e produziu o desfile de Corsos em Petrópolis em 2008. Ainda em 2009 assumiu a coordenação do Ponto de Cultura Língua de Trapo com o projeto Independência é Arte. É representante Sindical SATED-RJ -Região Serrana.

SERVIÇO
“Ciúme”
Data: 3 e 4 de Abril de 2014
Local: Theatro D. Pedro
(Praça dos Expedicionários S/N – Centro)
Tel: (24) 2235-3833
Ingresso: R$ 30,00 (inteira) e R$ 15,00 (meia)
Classificação: 16 anos


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.