O CPTI/FAETERJ Petrópolis lança projeto inovador de MetaReciclagem. A ação institucional nasceu do desejo antigo dos atuais Diretores da Iinstituição Lucimar Cunha e Bruno Guingo, de buscar uma identidade visual que significasse também a preocupação com o meio ambiente. Denominado de METARECICLAGEM: TRANSFORMAÇÕES /ARTE E LIXO ELETRÔNICO e, tendo como ideia inicial a construção de um muro conceitual, o Projeto objetiva apresentar uma nova concepção de arte, produzida a partir da utilização de elementos periféricos tecnológicos (lixo eletrônico), como suportes para expressão de diferentes linguagens artísticas. A coordenação e criação do conceito do Projeto é do artista plástico e designer Cocco Barçante, que foi convidado e contratado como professor, para não só cuidar do projeto de MetaReciclagem e das oficinas ligadas ao projeto,  como também é o responsável pela Agenda 21 na Instituição.
A FAETERJ Petrópolis em seu processo educativo trabalha essencialmente com as novas tecnologias e reconhece o impacto proveniente da indústria tecnológica no mundo, por isso, não poderia desconsiderar a geração cada vez maior de resíduos oriundos desse permanente e constante avanço tecnológico que transforma em fração de meses um equipamento em algo obsoleto. O lixo ou a sucata produzida pela indústria da tecnologia, quando não corretamente gerido e descartado resulta em prejuízo imensurável para o meio ambiente. Com a criação do Projeto MetaReciclagem, peças e componentes de computadores que iriam se tornar lixo eletrônico se transformam em arte pelas mãos do professor artista Cocco Barçante e de seus assistentes André Mayworm, Alexandre de Souza, Mário Sérgio, Alex Sandro Benfica, Jorge Nivaldo, Paulo Costa e demais professores da Instituição.
O muro conceitual que recebeu o nome de “Cidade
Sustentável" agrega uma floresta tecnológica composta por Pé de mouse, Pé de teclado, Pé de teclas e Pé de fios. Para a primeira etapa do trabalho foram utilizados 25 monitores, 30 computadores, 250 teclados, 20.000 teclas, 30 placas mãe, 200 mouses, 200 tomadas, 500 plugs, 300m de fios e 30 tubos de imagens. A iniciativa não só extrapola o esgotamento de uso das tecnologias velhas, como provoca o observador acerca da possibilidade de novos olhares e possíveis transformações para este tipo de lixo, estabelecendo conexões da arte com a vida, com a tecnologia e com o meio ambiente.
O Projeto prevê atividades acadêmicas e "extra-muros",  na tentativa de fomentar um debate profícuo sobre o tema,  envolvendo diversos atores - a instituição, o alunado, a sociedade, trazendo um beneficio sócio cultural direto para toda a comunidade envolvida. Segundo pesquisas realizadas na busca de iniciativas relacionadas, este é o maior Projeto no mundo, dentro do conceito de reaproveitamento tecnológico, inclusive já foi feito um contato com o Guinness Book.
A inauguração do Projeto será no dia 27 de agosto, às 10h, na FAETERJ Petrópolis, bairro do Quitandinha.


“Fios, tomadas, teclas e mouses, se transformam em padrões de estampas florais e geométricas”. (Cocco Barçante)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.