por Anna Paula Di Cicco*
Há uma década a Cidade Imperial ganhou um olhar diferente, voltado às suas peculiaridades, cultura e, mais recentemente, à gastronomia. Relatando a cidade, mês a mês, como quem é apaixonado por seu berço, o tabloide Petrópolis em Cena – esse que vos fala – se aproxima da população a fim de informar e enriquecer o conhecimento do petropolitano.
Marise Simões, jornalista idealizadora e responsável pelo Petrópolis em Cena, lembra com carinho as capas mais marcantes do tabloide. “A do primeiro exemplar, em fevereiro de 2005, A Luz de Tom, sobre o documentário de Tom Jobim que teve algumas locações na cidade; R&J de Shakespeare - juventude Interrompida, espetáculo que tivemos o prazer de fazer a produção; e a capa sobre o Concerto do Maestro João Carlos Martins na cidade”, aponta.
Ainda cutucando as memórias de Marise, nesses dez
anos, ela conta que muitas entrevistas marcaram a trajetória do PC – como o jornal pode ser carinhosamente chamado. “Algumas são inesquecíveis, como a entrevista com a atriz carioca Kiara Sasso, quando protagonizava a personagem Christine Daae no musical da Broadway "O Fantasma da Ópera"; o bailarino petropolitano Leandro Zapalla, sucesso internacional; o humorista Chico Anysio – com quem também tive o prazer de assessorar um de seus espetáculos na cidade –; Pedro Camargo Mariano e César Camargo Mariano, entre outros artistas com quem tive a oportunidade de trabalhar. A lista é grande, mas sem dúvida alguma, posso afirmar que o maestro João Carlos Martins foi uma das entrevistas mais marcantes”, relembra.
E já que estamos na Cidade Imperial, como não perguntar à jornalista qual personalidade ela entrevistaria se tivesse uma única oportunidade de voltar no tempo? Marise prontamente aponta seu escolhido: D. Pedro II. “Com certeza! Gostaria de saber primeiramente como foi o regime de sua educação, de seus estudos puxados, que começavam às 7h da manhã e só terminavam às 22h, quando ele ia dormir. A entrevista seria longa, muito longa e eu iria absorver seu lado filosófico, seus conhecimentos em botânica e seu lado de valorização à arte. Ah, claro, como ele também gostava de comer bem, questionaria as curiosidades da sua cozinha e o segredo de muitas receitas, que renderiam pautas para o Caderno de Gastronomia. Então, assunto é que não faltaria”, afirma.  
E em meio às comemorações da primeira década de seu próprio jornal, Marise Simões não
deixa de citar aqueles que a acolheram desde o princípio.  “Como funcionária do Diário de Petrópolis há 21 anos, não poderia deixar de citar os que me abriram portas para o jornalismo: o saudoso José Carneiro Dias (Carneirão) e de seu filho, Paulo Antônio Carneiro Dias. Com eles muito aprendi e absorvi conhecimentos que os livros e os Cursos de Comunicação não ensinam, principalmente a paixão pelo que se faz”, ressalta.

Marise ainda afirma que o Jornal Petrópolis em Cena é uma extensão de seu lado poético e literário. “É algo que transcende de mim. E é neste momento que paro para refletir e vejo a legião de amigos que contribuem para esse sonho se tornar realidade todos os meses. Assim, só me resta agradecer a todos os colaboradores, anunciantes, leitores e a minha equipe que trabalha com seriedade durante esses dez anos. Obrigada!”, finaliza. 

*Jornalista

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.