São apenas cores e movimento sobre telas, mas capazes de mexer com a emoção do observador. O trabalho da pintora Lê Borges, em sua primeira exposição individual, está agradando em cheio os visitantes da galeria Van Dijk, no Centro de Cultura Raul de Leoni. A mostra, promovida pela Prefeitura de Petrópolis por meio da Fundação de Cultura e Turismo, foi aberta à visitação nesta terça-feira, 7 de abril, e tem 14 trabalhos em estilo abstrato, feitos com técnica de pintura fluida com tinta e massa acrílica. Vai até o dia 3 de maio, com entrada franca.
A artista – Lê Borges, ou Elaine Bordes das Graças Farsura, é uma petropolitana de 35 anos que fazia teatro, mas mudou-se 12 anos atrás para Carmo, cidade pequena no interior do estado. Ali, longe da arte que praticava, sentia a falta da expressão artística e, quase por acaso, descobriu um novo talento. “Sete anos atrás, resolvi criar um quadro para decorar minha casa, e me surpreendi com o resultado. Todos os amigos que nos visitavam também se admiravam e me estimularam a continuar pintando.” Muitos quadros depois, mais alguns cursos que posteriormente procurou fazer para se aperfeiçoar e bastante pesquisa na internet, a artista começou a apresentar as primeiras telas ao público em mostras coletivas na cidade onde mora, até chegar à atual exposição, em Petrópolis.
Lê se inspira no trabalho do russo Vassily Kandinsky, precursor do abstracionismo, e do americano Jackson Pollock, que foi uma referência no expressionismo abstrato. Foi utilizando a técnica desenvolvida por ele que ela passou a explorar seu novo campo de trabalho: “Comecei usando o gotejamento da tinta, como Pollock, e depois passei à pintura fluida em tinta acrílica”, relata. Do hábito de deitar-se no terraço de sua casa, em Carmo, para observar a infinidade de estrelas que preenchem o céu noturno longe das luzes das grandes cidades, a artista tirou a inspiração para a série de telas que compõem a mostra. Todas representam galáxias.
 Explosão de Sentimentos – “Adorei a exposição”, comentou a adolescente Gabriela Guimarães, de 13 anos. “Gosto de arte, de coisas como música e pintura, e até desenhei algumas telas com guache, quando criança, estimulada pelo meu padrasto, já falecido, que gostava de pintar. Achei muito bonitos todos estes trabalhos.”
Sua mãe, Regina Guimarães, também aproveitou para conferir a mostra e admirou o que viu: “Gosto muito de arte abstrata e achei lindos os quadros! Não tenho um conhecimento mais profundo de pintura, não sou uma especialista, mas achei que as telas retratam bem, nas cores fortes, a explosão de sentimentos, como diz o próprio nome da exposição. E são muito bonitas.”  
A mostra pode ser visitada todas as tardes até o primeiro domingo de maio, com exceção das segundas-feiras, quando a galeria fecha para manutenção. De terça a sábado, o horário é das13h às 18h, e aos domingos, das 13h às 17h. O Centro de Cultura Raul de Leoni fica na Praça Visconde de Mauá, 305, Centro Histórico. O telefone é (24)2233-1200. A classificação é livre.
Outras informações com o Disque Turismo: 0800 024 1516.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.