Confira tudo que a 26ª edição reserva para petropolitanos, turistas e visitantes!

Animação infantil com o grupo Faz de Conta
Atividades lúdicas como pintura facial e outras. O Grupo Faz de Conta existe há 20 anos,  desenvolvendo projetos de caráter educativo e oficinas temáticas com o objetivo de despertar nas crianças o interesse pelos assuntos referentes às datas comemorativas em nossa cidade. Oferece conhecimentos através de atividades lúdicas, como pintura facial e outras, podendo utilizar animadores culturais, contadores de histórias e teatro de fantoches.

Apresentação da Bauernband - A banda petropolitana de estilo alemão vai animar a noite dançante no Palácio de Cristal com repertório vasto, composto de valsas, polcas e hailanders tradicionais alemãs. Fundada em 2003 por músicos da cidade, desde então participa da Bauernfest. Seu diferencial é a grande animação, não só através do ritmo agitado, mas também de brincadeiras com o público.

Apresentação da Banda Original (Palco Koblenz)
As músicas folclóricas alemãs em interpretação cheia de animação, acompanhadas de  coreografias contagiantes –  algumas criadas com a participação do público, de forma espontânea e descontraída. Há 27 anos a Banda Original, do Paraná, participa de inúmeras festas em diversos estados brasileiros e países da América Latina, como Bolívia e Paraguai. Tem 16 integrantes, repertório amplo e arranjos modernos, contando com até sete instrumentos de sopro. 

Apresentação da Banda UHUL - Um show em que a música folclórica é apresentada pelo grupo em ritmo de rock, com muita alegria. Na definição do grupo, seu estilo é o Rock Alegre. A banda nasceu no início de 2007, entre amigos na mesa de um bar, com o propósito de criar a trilha sonora para as pequenas histórias da vida comum. Agora, são requisitados para as festas alemãs. 

Bailão (Palácio de Cristal) – No Palácio de Cristal, música popular tradicional da Alemanha todas as noites, ao vivo, para proporcionar dança e alegria. A Banda Musical Germânica, de Blumenau (SC), que já é tradição na Bauernfest, vai garantir as trilhas sonoras em quase todas as noites.

Banda Musical Germânica – Com 34 anos de história e vários discos gravados, a banda se destaca no país como uma das mais tradicionais no estilo alemão, apresentando-se em todas as festas germânicas do país, como a Oktoberfest, de Blumenau, a Oktoberfest de Rolândia ou a München Fest em Ponta Grossa, no Paraná.

Bisbilhotecárias - Caracterizadas como bonecas, elas encantam o público, com um trabalho lúdico e estilo único de se aproximar das crianças. As Bisbilhotecárias nasceram em 1999 do Projeto Amigos da Escola e seu sucesso levou a dupla a atuar em projetos sociais do município e nos grandes eventos da cidade.

Brassagem de Cervejas Artesanais – Demonstração de produção caseira de cerveja. Serão produzidos no local 20 litros da bebida com equipamentos simples, em cerca de seis horas de atividade desenvolvida por integrantes da ACervA, associação sem fins lucrativos que congrega os produtores artesanais de cerveja.

Breno Morais - Com repertório que vai do jazz à house music, o saxofonista e flautista petropolitano vai fazer um contraponto com o DJ no Espaço Tanzen. Com mais de 20 anos de estrada, Breno já tocou em vários tipos de eventos e se apresentou por todo o Brasil, tendo excursionado também pela Europa e Estados Unidos.

Concerto dos violinistas Os Pequenos Mozart – Direção de Suray Soren
Apresentação musical que vai do clássico ao popular. O grupo Os Pequenos Mozart grupo foi criado em 1962 e é composto sempre por jovens estudantes de violino do Rio de Janeiro, com idades entre 9 e 16 anos. Eles se apresentam com roupas de época do século XVIII e já tocaram com grandes orquestras. Em 2014, com o nome “The Brazilian Tropical Violins”, o grupo fez uma turnê de duas semanas por duas cidades da Alemanha e a capital da Áustira, Viena. Suray Soren é violinista da Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal do Rio de Janeiro e dirigiu durante 24 anos o Instituto Casa de Cultura Rio.

Concerto: “Trio Extemporâneo Interpreta Clássicos Alemães“
Em espetáculo de uma hora de duração, o concerto traz obras eruditas conhecidas pelo grande público, de autores clássicos alemães como Bach, Beethoven, Mozart e Haendel. Formado em 2011 com o intuito de levar a música erudita aos espaços públicos, o trio é composto por músicos de experiência nacional e internacional: Rodrigo d'Avila (flauta transversal e violão), Rafael Geraets (violino) e Wally Borghoff (piano).

Concurso “Chapéu Mais Enfeitado”
Com base no hábito dos antigos camponeses alemães de usarem chapéus que traziam algum tipo de enfeite, o concurso premia o participante que mais se destaca nessa arte, exibindo no chapéu sua coleção de bottoms, broches e outros adornos.

Concurso “Chopp a Metro”
Com inscrição livre para maiores de 18 anos não alcoolizados, o concurso premia o bebedor que tomar mais rapidamente a bebida oferecida em tulipas de um metro de comprimento, sem deixar a bebida escorrer e sem retirar a tulipa da boca. Há duas modalidades, masculino e feminino. A inscrição é feita no local, a partir das 18h (até 15 minutos antes do início).

Concurso de Poesia da Bauernfest
Realizado há mais de 25 anos, foi idealizado pelo escritor e poeta Arnaldo Rippel, descendente de colonos alemães, e tem a coordenação de Catarina Maul. É dividido em quatro categorias: Infantil (até 12 anos), Juvenil (de 13 a 18 anos), Adulto e Adulto-Outras Cidades. É realizado em parceria da Prefeitura, através da Fundação de Cultura e Turismo de Petrópolis e da Secretaria de Educação, com a Academia Petropolitana de Poesia e o Clube de Poesia. Na cerimônia de premiação, são declamadas as poesias dos três finalistas de cada categoria, que recebem troféus,  juntamente com o melhor intérpete.

Concurso para Rei e Rainha da Bauernfest
Pela primeira vez será realizado na própria Bauernfest, diante do próprio público. Jovens descendentes de alemães, com até 30 anos de idade, irão desfilar com roupas típicas e apresentar a história de sua família. Após a escolha por um júri especial, o casal de monarcas e as duas princesas receberão faixas, coroas e diademas da Corte que se despede, e começarão suas funções na festa distribuindo animação e simpatia, e executando atividades como a de júri nos concursos de Chope em Metro.

Coral Dó Ré Mi - Coro Modelo do Programa Canta Petrópolis
Apresentação do coral formado em 2012, integrado por crianças do ensino fundamental sob a regência do maestro Leonardo Randolfo. É o primeiro grupo criado pelo Programa Canta Petrópolis, da Prefeitura, que visa a implantar um coral em cada escola do município, beneficiando milhares de crianças e jovens.

Coral Meninas Cantoras de Petrópolis – Fundado em 1976 pelo maestro Marco Aurélio Xavier, interpreta músicas eruditas e populares e coleciona prêmios e troféus no Brasil e no exterior. Fez participações em discos da maioria dos ídolos da música brasileira atual e, no exterior, uma gravação histórica, ao lado de grandes estrelas internacionais: a do CD In My Life, última produção fonográfica feita pelo maestro e produtor inglês George Martin (conhecido como “o quinto Beatle”). Elas cantaram a música “Ticket to Ride”, dos Beatles. As matérias publicadas sobre o coral em jornais, revistas e livros, no Brasil e Exterior, já somam cerca de 18 mil.

Coral Municipal de Petrópolis
Fundado em 1976 pelo maestro Ernani Aguiar, tornou-se um dos ícones culturais de Petrópolis. Hoje, sob a regência do maestro Paulo Afonso, apresenta-se em todo o Brasil. É composto por 32 cantores e participa regularmente da programação oficial da cidade. Com repertório eclético, que vai da música sacra à popular, passando pelo barroco (com destaque para o barroco mineiro), procura sempre privilegiar a música brasileira. Já foi responsável pelas estréias, no Brasil, de peças famosas como a “Missa Coralis”, de Lizst, e a “Missa para Coro e Órgão”, de Brahms. E foi homenageado com composições criadas especialmente para ele por grandes autores brasileiros, como Guerra-Peixe, Ricardo Tacuchian, David Korenchendler, e Guilherme Bauer, dentre outros.

Coral Princesas de Petrópolis
Fundado em 1999 pelo maestro Leonardo Bruno, tem uma trajetória que inclui prêmios, gravações de CD's, apresentações para diferentes tipos de plateias e lugares, de igrejas a grandes eventos populares ao ar livre, participação em programas de rádio e tevê e até no cinema (no filme “Se eu Fosse Você”). Seu repertório vai da música popular à erudita, passando também pela música sacra. É regido atualmente pelo maestro Rodrigo D’Avila.

Coral Pro Tempore
Com um repertório amplo de música popular, o coral mantido pela Prefeitura, por meio da Fundação de Cultura e turismo, faz apresentações dinâmicas e cheias de alegria. Composto por cantores da terceira idade, foi fundado há 15 anos pelo maestro Paulo Afonso, que o dirige até hoje. É sempre uma atração nos eventos em que é convidado, e participa de todas as grandes festas da cidade promovidas pela Prefeitura, com um repertório adequado a cada evento – que inclui músicas em línguas estrangeiras.

Hora do Conto da Velhota Cambalhota – Rose Assis
A atriz Rose Assis dá vida à personagem Velhota Cambalhota, criada pela escritora Syvia Orthoff, para contar às crianças, além de “sua” própria história, contos infantis variados, passando pelos clássicos de que as crianças gostam.

Holger Beier - Destaque mundial no cenário da música eletrônica, Integra o indie electro-disco DJ team “Le Hammond Inferno” e toca nas principais cidades e festivais do mundo inteiro. É fundador da gravadora Bungalow Records, com estúdios em Berlim e São Paulo, que lançou mais de 150 discos internacionais – electro, club pop, japanese shibuya pop e várias bandas de música independente, como Stereo Total, SiriusMo, Yoshinori Sunahara, Fantastic Plastic Machine e Le Hammond Inferno, dentre outros.

Hoppeditz - Os Tolos
Atores caracterizados como o personagem do folclore alemão “Hoppeditz”, surgido nos carnavais de Dusseldorf para fazer a abertura da festa, recepcionam o público, com brincadeiras e uma moldura para o visitante se fazer fotografar, como se estivesse em um quadro.

Oficina do Projeto Ciência de Pés Descalços – Edgar Bessa
Atividade com uma hora de duração para 10 crianças de 8 a 12 anos. O objetivo é levar os participantes a montarem uma miniatura do trem-bala alemão, utilizando conhecimentos de geografia, relações internacionais e ciência.

Peça teatral “A Vovó da Praça Koblenz” – Cia. Bem Cultural de Teatro
O texto narra a chegada dos colonos alemães em Petrópolis, através das lembranças de um casal de idosos que relembram sua infância, os fatos narrados pelos seus pais e o crescimento da cidade, revivendo alguns de nossos colonos reais. Texto de Catarina Maul, Produzido pela Bem Cultural de Teatro, com texto e cenário de Catarina Maul, Música de Renato de Resende e Catarina Maul, figurinos de Mary de Paulla e direção musical de Renato de Resende. 

Peça teatral “Bauerntheater" – Grupo teatral Pessoal Aí e convidados (Jardim do Palácio de Cristal)
Percorrendo o jardim do Palácio de Cristal, os atores contam, cantam e representam a viagem dos alemães até o Brasil, a subida da serra e os primeiros dias na colônia. Texto, roteiro e direção de Sylvio Costa Filho; figurinos e maquiagem de Pita Cavalcanti; músicas de Aldo Medeiros, Sylvio Costa Filho e Pita Cavalcanti. O grupo Pessoal Aí foi formado em 1986 e, dos integrantes originais, três se mantêm até hoje: Nilson Tassi, Pita Calvanti e Sylvio Costa Filho. O último é conhecido por representar o Pai da Aviação em vídeo, exibido na Casa de Santos Dumont, e pessoalmente, em ocasiões especiais. 

Peça teatral “Himmelsrichtungen – Direções do Céu” - Cia. de Teatro Circense Andança
Três palhaços representam, em 40 minutos de um espetáculo sem palavras, em uma mescla de cômico e trágico, a trajetória dos colonos alemães, desde seu dia a dia na terra natal, em meio a guerras e sofrimentos por que passou a Europa na metade do século XIX, até a nova vida conquistada em Petrópolis. A Cia. de Teatro Circense Andança há 25 anos encanta com seus espetáculos, utilizando personagens e linguagem circenses. Nesta peça, estão no elenco Renata Alves, Laércio Motta e Rose Assis. Direção e pesquisa de Madson José.

Show musical: Bauern Jazz – Felipe Depoli Quarteto
Obras clássicas de compositores alemães como Bach, Wagner, Brahms, Mozart e Kurt Weill, dentre outros, ganham interpretações com abordagem jazzística e popular. Os arranjos têm abertura para improvisações e exploração de ritmos como salsa, baião, bossa nova, swing e valsa. O Quarteto é comandado pelo baixista, compositor e arranjador Felipe Depoli.

Show musical: “Tributo ao Rock Alemão – Motor Head” - Rogério Alves e Banda
Apresentação de grandes sucessos do grupo que é considerado uma das maiores bandas de heavy metal do mundo, ao lado de Black Sabbath, Judas Priest e Iron Maiden. A banda petropolitana  liderada pelo músico Rogério Alves, que já fez tributos a outros ídolos, presta sua homenagem musical ao ícone do rock’n’roll que influenciou com seu estilo muitas bandas de heavy, thrash metal e punk rock.

XXIV Bauerntennis - Criado pelo médico e tenista Arnaldo Rippel como uma homenagem do Petropolitano F.C. aos colonos alemães, é o torneio mais antigo e considerado também o mais charmoso do calendário tenístico da cidade.

Tradicional Desfile Folclórico
Em vitórias ornamentadas com flores, muita música, dança e alegria, os descendentes dos colonos alemães desfilam pelo Centro Histórico convidando todos para irem à festa e comemorar, com eles, a feliz decisão de seus antepassados de permanecer no país onde, hoje, seus filhos e netos fazem parte da sociedade em condição de total integração. Integram o cortejo os Grupos de Danças Folclóricas Alemãs de Petrópolis. Participação especial da Dupla do Rio e dos Hoppeditz (atores que interagem com o público, caracterizados como um personagem folclórico alemão). Na edição do primeiro domingo da Bauernfest, participação também do Grupo Folclórico de Vila Isabel (Rio de Janeiro – RJ).


Exposições

"... olhando mais pra frente do que pra trás. O exílio de língua alemã no Brasil. 1933-1945"
Montada em Frankfurt para o Ano Brasil – Alemanha (2013/2014), é composta por documentos, vídeos, obras artísticas de tipos diferentes, entrevistas e depoimentos que revelam a trajetória dos milhares de falantes da língua alemã que vieram para o Brasil entre os anos de 1933 e 1945, fugindo das perseguições nazistas - de 16 mil a 19 mil pessoas. E mostram a maneira como eles influenciaram nossas artes, ciências e economia, através de sua integração à vida nacional e das trocas havidas na convivência com personalidades brasileiras de destaque. Como é o caso do escritor austríaco Stefan Zweig, que viveu em Petrópolis e aqui escreveu seu famoso livro “Brasil, um país do futuro”.
Apresentação: Fundação Biblioteca Nacional, Biblioteca Nacional da Alemanha e Instituto Goethe
Curadoria: Arquivo do Exílio Alemão 1933-1945 da Biblioteca Nacional Alemã, em cooperação com Marlen Eckl (historiadora da Universidade de São Paulo – USP)

“Stefan Zweig, a agenda do exílio”
Nas páginas da última agenda telefônica de Stefan Zweig, algumas reproduzidas em painéis fotográficos na exposição, podem ser vistos os nomes de três ganhadores de prêmios Nobel e mais 158 artistas, escritores, cientista e intelectuais diversos com que ele se relacionava. Esse precioso acervo pessoal mantido no Brasil foi utilizado como base para a mostra, pela equipe da Casa Stefan Zweig, ao lado das informações levantadas através de investigações próprias e do profundo conhecimento do jornalista Alberto Dines, biógrafo do escritor. Nas palavras dos organizadores, a agenda de Stefan Zweig oferece uma ampla visão do universo humano que povoou sua vida nos derradeiros anos. E a exposição compõe “um mosaico vívido de uma época cultural fecunda e criativa”.
Realização: Casa Stefan Zweig

OS GRUPOS FOLCLÓRICOS ALEMÃES DE PETRÓPOLIS

Bauerngruppe Danças Folclóricas Alemãs de Petrópolis - Fundado 1991, apresenta um repertório de várias regiões da Baviera, Pomerânia e Floresta Negra, com coreografias cheias de alegria. O nome faz menção à Bauernfest em seu significado, que pode ser traduzido do alemão, como grupo camponês.

Bergstadt - Foi o primeiro grupo de danças folclóricas alemães criado na cidade de Petrópolis na era Bauernfest, em 25 de agosto de 1990. Conta atualmente com 72 integrantes divididos em quatro categorias: Infantil, Juvenil, Adulto e Master, com idades entre 7 a 73 anos.

Blumenberg Volkstanz - Fundado em 2001, conta com quatro categorias: Infantil, Juvenil, Adulto e Master. No repertório, danças das regiões do Hunsrück, Tirol, Vierlande, Pomerânia, Suábia, Baviera e Boêmia. Inclui polcas, valsas, mazurcas e os tradicionais schuhplattler, os sapateados alpinos. Trajes de origem austríaca.

Kaiserstadt Kulturkreis - O grupo foi fundado em 1997, estruturado como um Centro Cultural para abranger manifestações culturais como, dança, canto, culinária, idiomas, entre outras. Tem duas categorias de dança, a Infanto-juvenil (dos 6 aos 12 anos) e Adulto (a partir dos 13 anos). Possui trajes inspirados na cultura alemã e austríaca. O Brazão, nas cores da Alemanha, reúne símbolos referentes ao império brasileiro e à Alemanha.

Koblenz Volkstanzgruppe - Fundado em 1998. Categorias: Adulto e infanto-juvenil. O brasão é o da cidade de Koblenz, no estado Rheinland-Pfalz (Renânia-Palatinado), que inspirou o traçado de Petrópolis. Trajes: três, sendo dois franceses da região da Alsácia (durante a Guerra Napoleônica Koblenz esteve ora sob domínio alemão, ora sob domínio francês) e um dos camponeses alemães da região.
Curiosidade: O Major Koeler partiu da confluência dos rios Piabanha e Quitandinha, semelhante à dos rios alemães Rhein (Reno) e Mosel (Mosela) em Koblenz, para distribuir à sua volta os bairros petropolitanos, com nomes das cidades alemãs.

Mosel - Fundado em 1991 (o terceiro a ser fundado na cidade), possui duas categorias: infanto-juvenil e adulto. Seus trajes são da cidade de Miesbach, localizada na Alta-Baviera, e um dos mais difundidos da Alemanha. No brasão, os símbolos alemães da federação, do baronato da Renânia e da região do rio Mosel, produtora de vinhos.

Rheinland Pfalz - Fundado em 1994 é formado por casais jovens e adultos Tem dois trajes típicos: um da Região do Tirol e um da Região da Baviera. Seu brasão é o do estado alemão que lhe dá nome, e de onde veio grande número dos colonos alemãos de Petrópolis
Petrópolis Danças Folclóricas - Fundado em 1996, O Petrópolis Danças Folclóricas hoje é formado por 3 categorias adulto, juvenil, e infantil. Tem também um núcleo de danças folclóricas italianas, mas é a dança alemã, apresentada na Bauerfest, que congrega o núcleo principal da agremiação.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.