Balanço divulgado nesta segunda-feira mostra que, em 10 dias, a festa movimentou mais de R$ 33 milhões

A 26ª edição da Bauernfest chegou ao fim no último domingo (5) com recorde de público. Mais de 250 mil pessoas passaram pela tradicional Festa do Colono Alemão de Petrópolis, entre turistas, visitantes e moradores, ultrapassando em quase 20% o público do ano passado e superando a previsão inicial para este ano. Realizada pela Prefeitura de Petrópolis, por meio da Fundação de Cultura e Turismo, em parceria com o Clube 29 de Junho, a festa gerou, neste ano, aproximadamente 1.100 empregos diretos e indiretos e movimentou cerca R$ 33 milhões na economia local, ganhando, mais uma vez, destaque como a maior realização da cidade e uma das maiores do estado.
O prefeito Rubens Bomtempo comemorou os resultados e lembrou que a Bauernfest é o evento mais tradicional do calendário oficial da cidade. “A cultura alemã está muito presente na cidade. Além da evidente importância histórica da festa, há também a importância econômica: a Bauernfest movimenta a cidade, atrai visitantes e turistas, gera movimento na nossa rede hoteleira, nos restaurantes, no comércio. Ver que, neste ano, superamos nossas próprias expectativas, mostra que a festa atrai cada vez mais a atenção das pessoas não apenas no Brasil como também no exterior”, destacou.
A presidente da Fundação de Cultura e Turismo, Thaís Ferreira, destacou que o sucesso da Bauernfest é resultado de uma Petrópolis que se consolida cada vez mais como destino turístico e aumenta sua competitividade dentro desse mercado. “Os conteúdos culturais fortalecem a capacidade de atrair turistas, visitantes e frequentadores petropolitanos e, sem dúvida, um governo articulado é capaz de promover uma festa organizada e cada vez mais atraente. Outros setores produtivos da cidade também mostram maturidade, capacidade e qualidade na prestação de serviços, fazendo com que turistas saiam realizados e retornem em outras oportunidades”, enfatizou.

Hotelaria
No primeiro final de semana da festa (26 a 28/6), os hotéis e pousadas da cidade

registraram uma taxa média de ocupação de 93,69%, sendo 97,95% no 1º distrito (Centro Histórico e arredores) e 89,43% (Corrêas, Nogueira, Itaipava, Araras, Pedro do Rio e Posse). Já no segundo fim de semana (3 a 5/7) os estabelecimentos do Centro alcançaram a marca de 100% de ocupação, e dos outros distritos fecharam em 91,98%, fechando a média do período em 95,99%.
Em 2014 a taxa média apurada foi de 79,84% no primeiro final de semana (27 a 29/6), sendo 95,18% no 1º distrito e 64,50% do 2º ao 5º. E o segundo fim de semana (4 a 6/7) fechou com taxa média de 95,55%, com o 1º distrito também com 100% e o restante com 91,10%.

Turismo
Segundo informações do Observatório do Turismo da FCTP, o movimento nos Centros de Informação Turística (CITs) foi bastante significativo. Durante os 10 dias da Bauernfest foram realizados 745 atendimentos, com total de 2.771 turistas e visitantes, um crescimento de 34,06% em relação a 2014. O Disque Turismo recebeu no mesmo período 909 ligações, das quais 69,2% eram de pessoas em busca de hospedagem para a festa.
Só o CIT que funciona no Palácio de Cristal atendeu 161 grupos de turismo, que vieram acompanhados de guias de turismo credenciados pelo MTur, agências de viagens e organizadores de excursões, totalizando 5.905 turistas, uma média de 36 pessoas por grupo. Este número representa um aumento de 28,8% comparado com o ano passado, onde 125 grupos foram cadastrados no CIT. Foram atendidos também 9.374 turistas e visitantes que vieram à cidade por iniciativa própria, totalizando, portanto, 15.279 pessoas, das quais 33 eram estrangeiras.
Os atrativos turísticos também computaram um aumento de visitação durante o período da Bauernfest. O Museu Imperial recebeu 11.119 visitantes, um aumento de 24,64%, pois em 2014 foram 10.098. Já o Museu Casa de Santos Dumont contabilizou 7.031 pessoas, um número 10,11% maior se comparado com os 5.641 do ano passado.

Gastronomia
O diretor da Cervejaria Bohemia, Raphael Rizzo, disse que receberam o expressivo número de 5.999 visitantes, contra 5.158 registrados em 2014. “E foram comercializados 70 mil litros de chope, o grande astro da festa, superando os 52 mil vendidos no ano passado”, disse. E foram consumidas nove toneladas de salsichão, petisco que faz a dobradinha de sucesso com o chope.
O Instituto Bingen, em parceria com professores de gastronomia da cidade, trouxe pela primeira vez a Bingen Bäckerei, uma padaria com sabores típicos da colônia germânica, resgatando receitas originais de cucas, doces como bolo de mel e picada de abelha e pães alemães. Renata Pertot, diretora financeira da instituição, contou que eles venderam tudo. “Tivemos que fechar mais cedo porque acabou nosso estoque. Só de pretzels vendemos 400 unidades. Recuperamos nosso investimento inicial e obtivemos um lucro muito bom”, falou.

Artesanato
As artesãs também comemoraram e muito as vendas durante a Bauernfest. De acordo com Sônia Moreira da Silva, presidente da Uniart – Unidos pela Arte de Petrópolis, só de guirlandas foram vendidas cerca de 10 mil unidades. “Os itens mais procurados foram os talabartes, os chapéus e os produtos de lã, mas as guirlandas foram as campeãs de procura”, explicou.
A vice-presidente da Associação dos Artesãos Cidade Imperial, Neyse de Aguiar Lioy, disse que o movimento foi excelente e que as vendas foram suficientes para recuperar todo o dinheiro investido com a produção do material. “Vendemos muito, principalmente os itens confeccionados com lã como gorros, luvas, suéteres, cachecol e meias. Os biscuits e oGlühwein (vinho quente) também tiveram boa saída”, comentou.

Música e cultura
O Espaço Tanzen, novidade em 2014, mas que veio para ficar, atraiu um grande número de pessoas todas as noites. Segundo os coordenadores, mais de 13 mil pessoas passaram pela boate e dançaram ao som de muita música eletrônica com DJs convidados.
A Casa Visconde de Mauá, que abrigou duas exposições durante o evento, “... olhando mais pra frente do que pra trás. O exílio de língua alemã no Brasil. 1933-1945” e “Stefan Zweig, a Agenda do Exílio”, contabilizou em seu livro de assinaturas 501 visitantes, tanto do Brasil quanto de países como Guatemala, Alemanha e Portugal. Da terrinha, os estados do Rio de Janeiro, São Paulo, Espírito Santo, Minas Gerais, Bahia, Ceará, Piauí, Pará, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul tiveram representantes prestigiando o espaço.
Foram 10 dias de muita programação para toda a família. Música, dança, teatro, cinema, desfile folclórico, exposições, concursos, artesanato, atrações infantis, cursos, comidas e bebidas típicas transformaram o Palácio de Cristal e seus arredores num autêntico burgo alemão. A festa já deixa saudades e o público aguarda ansioso a próxima edição. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.