Começa no próximo domingo, 24 de abril e vai até o dia 26 (terça-feira), o evento Cultura de Paz – trocas culturais com indíos da tribo Fulni-ô, promovido pelo Transforma Petrópolis. O evento tem também o apoio da Fundação de Cultura e Turismo de Petrópolis, do Iphan – o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional e da Prefeitura Municipal de Petrópolis.

No domingo, 24, as atividades terão início no Parque Natural da Ipiranga, das 10h às 13h, com canto, dança, roda de conversa sobre a cultura desta tribo e suas experiências com a sociedade dita branca, além de oficinas de pintura corporal, tambeem para crianças, e venda de artesanatos indígenas, com a presença de 14 indíos Fulni-ô, de Pernambuco, liderados pelo guerreiro Tafke-á, e tendo como convidados especiais membros da comunidade quilombola em Petrópolis, o quilombo da Tapera.




“Recebemos a oportunidade de acolher estes índios, que desejam compartilhar suas referências culturais e interagir com nossa cidade. E então logo associamos aos princípios da cultura de paz. Porque a construção da paz começa a partir de uma atitude pessoal, de conhecer e respeitar o outro, o diferente de nós, de ter solidariedade, ter tolerância e entender que a construção de um novo mundo passa pela diversidade”, explica Luciane Bomtempo, articuladora do Transforma Petrópolis. “E foi quando achamos importante então convidar toda a comunidade petropolitana, em encontros gratuitos e abertos e também contemplar outro tipo de comunidade tradicional nestas conexões, que são nossos cidadãos quilombolas, que também estarão presentes”, complementou.

As atividades continuarão na tarde de domingo na Praça da Liberdade, com o ritmo e o compasso da dança e do canto fulni-ô e venda de artesanatos, a partir das 16h. Às 18h será exibido o filme Bicicletas de Nhanderú, uma imersão na espiritualidade presente no cotidiano dos Mbya-Guarani da aldeia Koenju, em São Miguel das Missões, no Rio Grande do Sul, uma produção apoiada pelo IPHAN. Na segunda-feira, 25, os indígenas Fulni-ô visitarão algumas escolas públicas e em seguida retornarão para sua aldeia. Na terça-feira, 26 haverá exibição do filme Moko˜i Tekoá, Pete ˜i Jeguatá - Duas aldeias, uma caminhada, produzido por índios os Mbya-Guarani com apoio do IPHAN, no Cine Humberto Mauro, no Centro de Cultura Raul de Leoni, às 16h, seguido de debate com representante do IPHAN.





Os Fulni-ô
Palavra que significa "povo que vive ao lado do rio", os fulni-ô têm seu lugar de moradia no município de Águas Belas, junto à cidade de mesmo nome, a uma distância de 237 km do Recife, capital do Pernambuco. A língua Yaathe, que significa "nossa boca, nossa fala, nossa língua", é oral e não possui cartilha. É aprendida pelos índios em casa com os familiares no convívio doméstico e por intermédio de uma escola bilíngue que a aldeia possui. Os fulni-ô ainda conservam intacto o aspecto tribal e o mais possível pura sua língua. Anualmente, no mês de agosto, realizam o ritual do Ouricuri, em que durante 14 semanas ficam reclusos com contato restrito com os brancos e mergulhados em suas referências culturais. Um dos grandes problemas na região é a falta d'água e de saneamento básico, além da falta de emprego e renda. Por isso, é comum parte dos indígenas saírem da aldeia para buscar a vida nas cidades e migrarem para outros estados. No mês de abril de cada ano, por ocasião do Dia do índio no calendário nacional, é quando eles mais saem da aldeia, para darem palestras em escolas, associações e comunidades, divulgando sua cultura e vendendo seus artesanatos.

Sinopses dos Filmes

1. Filme: Bicicletas de Nhanderú

Sinopse: Uma imersão na espiritualidade presente no cotidiano dos Mbya-Guarani da aldeia Koenju, em São Miguel das Missões no Rio Grande do Sul.

Créditos
Direção e fotografia: ARIEL DUARTE ORTEGA, PATRICIA FERREIRA (KERETXU)
Fotografia: JORGE RAMOS MORINICO
Edição: TIAGO CAMPOS TORRES
Produção: VÍDEO NAS ALDEIAS

Ficha Técnica
Duração: 48 minutos
Ano: 2011
Região:  Rio Grande do Sul
Línguas: Guarani
Cor: colorido
Som: estéreo
Formato de tela: 4/3
Legendas: Espanhol, Francês, Inglês, Português

Prêmios: Prêmio Cora Coralina – XIII FICA, Festival Internacional de Cinema Ambiental, Goiás, Brasil, 2011.

2. Filme: Moko˜i Tekoá, Pete ˜i Jeguatá - Duas aldeias, uma caminhada

Sinopse: Sem matas para caçar e sem terras para plantar, os Mbya-Guarani dependem da venda do seu artesanato para sobreviver. Três jovens Guarani acompanham o dia-a-dia de duas comunidades unidas pela mesma história, do primeiro contato com os europeus até o intenso convívio com os brancos de hoje.

Créditos
Diretor: ARIEL DUARTE ORTEGA, JORGE RAMOS MORINICO, GERMANO BEÑITES
Edição: ERNESTO IGNACIO DE CARVALHO
Produção: VÍDEO NAS ALDEIAS / IPHAN

Ficha Técnica
Duração: 63 minutos
Ano: 2008
Região: Rio Grande do Sul
Línguas: Português, Guarani
Legendas: Português
Cor: colorido
Som: estéreo
Formato de tela: 4/3


Prêmios: Melhor filme do ForumDoc, Belo Horizonte, 2008.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.