O Carnaval é uma festa tradicional no Brasil e, embora pouquíssimas pessoas não gostem de festa, muitas pessoas não curtem o confete, a serpentina e o samba, estilo musical que ecoa pelas ruas nesse período. Pensando nisso, o Grupo Solstício, entidade responsável pelo Festival de música independente Solstício do Som, em Petrópolis, preparou um Carnaval Alternativo a base de rock, metal e blues. O evento vai rolar na Rua Olavo Bilac, 265, entre os dias 25 e 28 de fevereiro, com cinco shows por dia começando às 20h. A programação inclui bandas petropolitanas e também algumas ilustres presenças cariocas. Os ingressos antecipados estão disponíveis pelo site da Sympla (https://www.sympla.com.br/carnaval-alternativo-e-petropolis-2017__116008) em quatro formatos: ingresso para um dia (R$ 15), ingresso para dois dias (R$ 25), ingresso para três dias (R$ 30) e ingresso para quatro dias (R$ 40). Na porta, os ingressos serão vendidos por R$ 20/dia. Os ingressos antecipados também podem ser comprados a R$ 15/dia com a produção das bandas e com os músicos.
O line-up inclui três shows com banda e dois acústicos. No sábado, dia 25, a casa abre às 20h e a Blueprint dá a partida às 21h com uma mistura de rock e blues em suas composições autorais. Às 22h, o músico Bruno ROmAnelli, da banda Muleta Cruel, apresenta seu projeto acústico repleto de influências que vão desde clássicos do rock a MPB subversiva. A Último Sopro sobe ao palco às 23h com seu post-hardcore diferenciado e, na sequência, bruno. mostra seu trabalho carregado no folk e no country, a partir de meia noite. O metal autoral da Roots of Hate fecha o line-up com show marcado pra 01h, mas a noite não para por aí. A festa segue com o som do DJ até o raiar do dia.
“A ideia do Carnaval Alternativo surgiu de um convite feito pelo Estúdio Aldeia de realizar ali um conjunto de opções de bandas de metal, rock e blues, que não costumam ser contempladas no período do carnaval, formando mais um atrativo em Petrópolis. A cidade começa a oferecer alternativas para quem não quer deixar a cidade neste período mas quer fugir do carnaval tradicional que, além do samba e dos blocos, hoje é muito dominado pelo funk. Assim todos ganham uma boa opção musical e de lazer”, explica o diretor do Grupo Solstício e um dos idealizadores do projeto, João Felipe Verleun.
O primeiro show de domingo (26) é da Imperial Virus Rock, a partir das 21h. A banda foi fundada no ano passado. Às 22h, o guitarrista Paulinho Carvalho faz um som mais que especial com a cantora Fernanda Lyra. Na sequência, a carioca Electric Goat Combo sobe ao palco às 23h com seu post-stoner, uma mistura própria de stoner rock, post-rock e jazz. A partir de meia noite o músico Alexandre Pachá faz um som com sua viola caipira no projeto Pachapá. O último show da noite fica por conta do stoner rock da Magnólia’s Devil, a partir de 01h.
Na segunda-feira (28) de carnaval rola Stygma a partir de 21h, com rock dos anos 90 e um pouco de 80 e 70, seguida pelo Projeto Abalone às 22h, trabalho solo do músico Igor Gomes. Às 23h é a vez de muita energia e volume com The Mountain Season e suas influências do rock da década de 70 e do grunge. À meia noite o cantor e compositor Almir Chiaratti apresenta seu trabalho em versão acústica e, à 01h, a Hometown Blues fecha a sequência de bandas do dia com sua mistura aprazível de rock e blues.
A Metabrisa, novo nome dos Irmãos Jungstedt, abre o último dia da folia alternativa com show às 21h e um som electro trip post rock inigualável. Logo após, às 22h, chegam Os Generais Marcianos, banda do músico Julian Probst com fortes influências do pop/rock nacional. A carioca Vênus Café faz sua performance com palhaçadas ultrajantes e figurinos cuidadosamente selecionados a partir de 23h. Para acalmar os ânimos, o músico petropolitano Sicke apresenta seu trabalho autoral e sua voz suave à meia noite, abrindo caminho para a Fleeting Circus, do Rio, que fecha o evento com chave de ouro com muito art-rock e psicodelia.
“A ideia de um Carnaval Rock em Petrópolis é excelente, pois atende ao público que foge do caos que acompanha o binômio samba + Rio de Janeiro. Mais uma vez, é a serra remontando aos tempos do império e sendo um refúgio, um oásis. EXPECTATIVA: Boa música, pessoas bonitas, temperatura agradável, ruas sem urina, cerveja sem milho transgênico. Enfim, um evento de alto nível, como o festival Solstício do Som e outras iniciativas legais que acontecem por aí”, comenta o músico Dan Menezes, da Vênus Café.
               Para quem aguentar, a alegria carnavalesca dos foliões alternativos segue até de manhã, ao som do DJ. Confirme sua presença na página do evento no facebook (https://www.facebook.com/events/1179585552159656/) e não esqueça de garantir seu ingresso.

Serviço
Carnaval Alternativo
Data: 25 a 28 de fevereiro
Hora: 20h
Local:  Rua Olavo Bilac, 265 – Castelânea – Petrópolis/RJ
Ingressos:
R$ 20 (na porta)



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.