A história de Petrópolis, desde a sua fundação até fatos mais recentes, é contada de forma lúdica cuidadosamente preparada para entreter, divertir e ensinar os espectadores. A montagem “Petrópolis - Uma Cidade Imperial” faz parte de um convênio entre o Ministério da Cultura, por meio da Fundação Nacional de Artes (Funarte) e a Prefeitura de Petrópolis, por meio da Fundação de Cultura e Turismo. A estreia foi na noite desta quarta-feira (24/6) no Theatro Dom Pedro. Com casa cheia, o espetáculo proporcionou uma viagem no tempo da cidade imperial.
“É emocionante ver o desdobramento da história da cidade de uma forma tão diferente e bonita. Esse espetáculo mostra que temos todo um legado. Parabenizo a Funarte pelo convênio, a Fundação de Cultura e toda essa equipe que se esforçou para apresentar um trabalho deste nível”, disse o prefeito Rubens Bomtempo, que esteve presente na estreia ao lado da secretária-Chefe de Gabinete, Luciane Bomtempo. Ao fim do espetáculo, o prefeito prestou homenagens à Família Imperial (representada por Dom Manoel de Orleans e Bragança), ao historiador Joaquim Eloy e ao deputado Stephan Nercessian, que direcionou o recurso para a montagem da peça. A apresentação da versão especial do hino de Petrópolis, cantado por artistas petropolitanos em diferentes ritmos, encerrou à noite.
O diretor e dramaturgo Paulo Marcos de Carvalho, estava emocionado ao fim do espetáculo. “É uma honra e prazer retratar a história de Petrópolis dessa forma. Estamos contentes do sucesso da estreia”, comemorou. Com recortes da história imperial e republicana alinhando momentos da existência da cidade e dos seus personagens mais ilustres, o espetáculo com linguagem lúdica, viés pedagógico e músicas próprias, consegue atingir e se fazer compreender por crianças, adolescentes, jovens e adultos, sejam eles petropolitanos, de outras cidades ou nacionalidades, podendo já ser considerado a maior aula encenada sobre a história de Petrópolis vista em todos os tempos.
O encontro do Pequeno Príncipe (personagem do escritor Saint Exupéry) com o Alberto Santos Dumont, a vida de Nair de Teffé e o amor de Dom Pedro II e a Princesa Isabel por Petrópolis foram os destaques do espetáculo que poderá ser visto em outras 14 apresentações até o dia 2 de julho, em três horários diferentes. “Convidamos a todos a assistir esse espetáculo de qualidade”, disse a presidente da Fundação de Cultura e Turismo, Thaís Martins.
A produtora da montagem, selecionada por edital, é petropolitana – a Xdaquestão Produções – assim como todo o elenco e quase a totalidade da ficha técnica, procurando valorizar a mão de obra local e promover a troca de experiência entre novos atores e profissionais de carreira. Parte do elenco e da ficha técnica foi selecionada por meio de quatro dias de workshop, com atividades disciplinares em mais de 16 horas. Para a produção foram mais de 500 metros de tecido e cerca de 60 sapatos adquiridos pela produtora em lojas e bazares da cidade. Os mais de 100 figurinos e 200 adereços também foram feitos à mão por petropolitanos.
Outra novidade é a tradução simultânea para Inglês e Espanhol exibida em telão próximo ao palco, além da interpretação de libras e áudio descrição, esta última sob solicitação. Os ingressos são gratuitos e podem ser retirados, com antecedência mínima de 1 hora, na bilheteria do Theatro D. Pedro (Praça dos Expedicionários, s/n, Centro Histórico). 



A programação é a seguinte:
25/6/2015 – quinta-feira: 2 apresentações –15h e 20h
26/6/2015 – sexta-feira: 2 apresentações –15h e 20h
27/6/2015 – sábado: 1 apresentação – 21h
28/6/2015 – domingo: 2 apresentações – 15h e 20h
29/6/2015 – segunda-feira: 2 apresentações – 15h e 20h
30/6/2015 – terça-feira: 2 apresentações – 15h e 20h
1/7/2015 – quarta-feira: 2 apresentações – 15h e 20h
2/7/2015 – quinta-feira: 1 apresentação – 15h

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.