O evento reserva três dias de pura arte literária, incluindo palestras com escritores, jornalistas e produtores culturais. A programação ocorre no Museu Imperial, sede da Inter TV e Casa Stefan Zweig.

O mês de abril será especial no setor literário. Petrópolis recebe, de 15 a 17 de abril, a 1ª edição da Festa Literária da Serra Imperial - FLISI, no Museu Imperial. O evento é uma iniciativa do Instituto Oldemburg de Desenvolvimento em parceria com o Museu Imperial e contará com personalidades da vida literária, transformando um sonho coletivo em realidade. A realização da FLISI, que terá como tema “A Memória”, com toda certeza, irá se configurar como instrumento vivo de mobilização cultural em prol do livro e da leitura na Região Serrana do Estado do Rio.
O evento terá coordenação de Cristina Oldemburg, com curadoria das mesas da escritora Guiomar de Grammont, que é coordenadora do Fórum das Letras de Ouro Preto e professora da Universidade Federal de Ouro Preto. As atrações ocorrerão no Museu Imperial, na Casa Stefan Zweig e na sede da Inter Tv, com direito a tardes de autógrafos, mesas redondas e shows, entre outras atrações.
A lista de convidados incluí nomes como Dom João de Orléans e Bragança, ativista na área social, política e ambiental; Luiz Aquila, artista plástico; Mary Del Priore, historiadora e escritora, vencedora de 22 prêmios (nacionais e internacionais) e Nélida Piñon, Acadêmica da ABL, dentre outros. A Festa Literária também contará com exposições, encontro com artistas, debates e lançamentos e vivências literárias.

Confira a programação:

1º DIA – 15 DE ABRIL

  • 19h – Cerimônia de abertura
  • 19h15 – Palestra: “Literatura e Memória: o livro das horas”
    Nélida Piñon
    Apresentação: Christiane Michelin (Presidente da Academia Petropolitana de Letras)
    A mais renomada escritora contemporânea do Brasil desfia memórias afetivas que emergem a partir de um vertiginoso turbilhão de lembranças e emoções. Nélida conviveu com os mais importantes escritores de sua época, como Garcia Marques, Vargas Llosa e Carlos Fuentes, entre outros. Nessa palestra, porém, mais uma vez ela revive sua intensa e duradoura história de amor: com a palavra. Após a palestra, autógrafos da escritora, no foyer. Vinho de honra.
    Local: Museu Imperial – Cine Teatro

    2º DIA – 16 DE ABRIL / SÁBADO

(Manhã)

  • 10h – Mesa: “Reinado e Império em um Tempo de Transformações e Contradições”
    Mary Del Priore, Isabel Lustosa
    Mediação: Bruno Tamancoldi
    Toda a biografia é uma janela para o passado. A intimidade da família imperial, nas últimas décadas do século XIX, consumida por traições, intrigas, amores e profunda melancolia. O destino muitas vezes dramático das princesas europeias, cujos casamentos eram contratados em virtude de interesses políticos e econômicos. Após a palestra, autógrafos dos escritores convidados, no foyer.
    Local: Museu Imperial – Cine Teatro

(Tarde)

  • 14h – Mesa: “Música, Memória e Literatura”
    Nei Lopes, Luiz Antônio Simas
    Mediação: Leandro A. Rodrigues
    A partir dos impactos da abolição da escravatura, os autores falarão sobre o Rio de Janeiro das primeiras décadas do século 20 como uma cidade de “pequenas áfricas”, enfatizando a cultura das ruas e as formas associativas que as comunidades negras desenvolveram no período, tais como o surgimento das escolas de samba. O recorte da fala se estabelecerá em perspectiva sociocultural, destacando a importância do samba e do carnaval nos debates sobre a construção da identidade nacional brasileira. Após a palestra, autógrafos dos escritores convidados, no foyer.
    Local: Museu Imperial – Cine Teatro

  • 16h – Mesa: “Doze Horas em Diligência: guia do viajante de Petrópolis a Juiz de Fora”
    Pedro Vasquez, Dom João Bragança
    Mediação: Mauricio Vicente Ferreira Júnior
    Essa estrada foi inaugurada com a presença da família imperial, que efetuou a viagem a Juiz de Fora. Os imperadores ficaram hospedados na quinta do comendador Mariano Procópio Ferreira Lage (atual sede do Museu Mariano Procópio). Klumb fotografou a inauguração da estrada em 1861, e depois começou a produzir o seu livro, que demorou 11 anos para ser editado. A publicação ocorreu em 1872, ano da morte de Mariano Procópio, que não chegou a ver pronta a obra que Klumb dedicou à sua memória. “Doze Horas em Diligência: guia do viajante de Petrópolis a Juiz de Fora”, de Revert Henry Klumb, foi o primeiro livro de fotografia integralmente produzido e impresso no Brasil. Após a palestra, autógrafos dos escritores convidados, no foyer.

  • 18h30 – Sarau Imperial
  • 20h – Show  “Som e Luz”
    Local: Museu Imperial – Cine Teatro

3º DIA – 17 DE ABRIL / DOMINGO
Vivências Literárias, Históricas e Artísticas

(Manhã)

10h - Encontro com Caio de Andrade
O produtor Cláudio Gomide conversa com o dramaturgo e diretor teatral que vem construindo, ao longo dos anos, uma ponte entre o teatro e a história do Brasil.
Esse encontro irá esmiuçar o processo de construção do espetáculo, inspirado ou baseado em fatos históricos, notadamente no Brasil. A pesquisa histórica ocorre simultaneamente à formação das cenas, através de discussões ou questões propostas ao elenco, que se transformam em temas para improvisações. Após a palestra, autógrafos do escritor convidado, no foyer.
Local: Museu Imperial – Cine Teatro 

(Tarde)  

  • 12h – Viver Stefan Zweig
    Kristina Michahelles
    Local: Casa de Stefan Zweig
    Aberto ao público
    Nessa vivência na casa onde morreu, o grande escritor Stefan Zweig, celebraremos os 80 anos de sua primeira vinda ao Brasil. Após longas viagens a trabalho pelo país, o autor escolheu Petrópolis como a cidade onde viveria o exílio junto com sua esposa, Lotte, depois da ocupação nazista. Zweig tinha muitos planos e projetos para essa estada no Brasil, como registrou em seus diários. Em sua casa em Petrópolis, Stefan Zweig consumou o gesto trágico que simbolizou o desespero de toda uma geração, do mundo inteiro, diante do horror da guerra.

  • 14h – Tarde de Autógrafos do livro “Moenda”
    O poeta Marcio Negócio autografa o seu novo livro, com participação de artistas petropolitanos.
    Local: foyer do Museu Imperial
    Aberto ao público

  • 14h – Palestra e tarde de autógrafos do livro “O Próximo da Fila”
    O escritor Henrique Rodrigues conversa com o público e autografa seu novo livro.
    Local: Sala Multimídia da Inter TV (40 participantes – inscrições no local, duas horas antes do evento)

  • 16h – Tarde de Autógrafos do livro “Petrópolis Fotografias e Curiosidade”
    Os organizadores Luciana Bassous e Claudio Partes revisitam a história dessa cidade, reconhecida como uma das mais belas do país. Os verbetes partiram de uma pesquisa histórica e também foram traduzidos para o inglês.
    Local: Foyer do Museu Imperial
    Aberto ao público

  • 16h – Projeto Coletivo Poesia – Varal de Poesia
    Os novos talentos lançados pela FLUPP Pensa autografam seus livros.
    Local: Galeria da Inter TV
    Aberto ao público
    (Duas horas antes do evento, serão distribuídas 40 senhas que darão direito ao livro, para autógrafos)

  • 17h – Conversa de Atelier
    O artista plástico Luiz Aquila recebe convidados no seu atelier, para um bate-papo sobre o artista, a arte e o viver na cidade.
    Local: Residência do artista.
    (20 participantes – inscrições no foyer do Museu Imperial, duas horas antes do evento)

Serviço

FLISI – Festa Literária da Serra Imperial (1ª Edição)
Dias: 15, 16 e 17 de abril de 2016
Local: Museu Imperial, Sede da InterTV Serra Mar e Casa Stefan Zweig
Museu Imperial: Rua da Imperatriz, 220 – Centro
Sede da InterTV Serra Mar Petrópolis: Rua da Imperatriz, 327 – Centro
Casa Stefan Zweig: Rua Gonçalves Dias, 34 – Petrópolis – RJ

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.