Em comemoração ao Dia do Ferroviário, a Prefeitura e a Associação Fluminense de Preservação Ferroviária (Núcleo Petrópolis) prepararam um dia cheio de homenagens, exposições e palestras no Centro Cultural Estação de Nogueira.  O evento acontece no dia 30 de abril, a partir das 10h, e segue até as 20h. Toda a programação é gratuita.

A inauguração da exposição “Minas visita Petrópolis”, às 10h, abre a programação. Às 17h, será feita uma homenagem aos ex-ferroviários e, às 17h45, a turismóloga do Instituto Estrada Real, Denise Nicoli, fala sobre “A Estrada Real”. A programação segue às 18h30, com o apitaço e fumaça da Baroneza II (antiga locomotiva de tração a vapor que operou por muitos anos na Cia. Petropolitana de Tecidos e doada ao município pela Associação Fluminense de Preservação Ferroviária e restaurada pela Prefeitura, por meio da Fundação de Cultura e Turismo - FCTP). 

Às 18h45, o engenheiro ferroviário, membro da Academia Ferroviária de Letras e diretor da Associação Fluminense de Preservação Ferroviária (AFPF), Hélio Suêvo Rodriguez, fala sobre “As Ferrovias do Rio de Janeiro: ontem, hoje e amanhã”. A programação termina às 20h.

“Há muitos anos os ferroviários são homegeados nesta data. Agora, além da programação, com palestra e exposição, temos Baroneza II estacionada em frente à plataforma da antiga Estação Nogueira. Vamos relembrar os tempos do trem, com a fumaça e o apito característicos, reavivando na memória o som que anunciava as chegadas e partidas do trem na estação”, explicou a presidente da FCTP, Drica Madeira.

O dia do ferroviário foi criado em 2011, pelo governo do Rio de Janeiro, escolhendo o dia 30 de abril para homenagear aqueles que trabalham ou trabalharam em ferrovias no nosso estado.

Serviço:

Dia: 30/4 (sábado)
Data: das 10h às 20h
Local: Centro Cultural Estação de Nogueira (Avenida Leopoldina 317, Nogueira)

10h – Inauguração da exposição “Minas visita Petrópolis”
Uma mostra de objetos, esculturas, quadros,livros, vídeos sobre os trens de turismo, farão os visitantes viajarem por Minas Gerias, sinônimo de cultura, onde abriga o maior acervo arquitetônico e artístico do período colonial, encontrado principalmente em Ouro Preto, Diamantina, Congonhas, Tiradentes, Sabará e São João Del-Rei. 
Os destaque da exposição são um painel sobre a Estrada Real da loja Chicô Gouveia,um “Divino” da loja Arteiro e um alambique do Escritório de Artes Miguel Salles.
A exposição ficará franqueada ao público até o dia 28 de maio.
        
17h - Abertura e Homenagem aos ex-ferroviários e destaques 

17h45 - Palestra “A Estrada Real” 
Palestrante: Denise Nicolini, turismóloga do Instituto Estrada Real – Sistema FIEMG, 
Um relato da história e principais atrativos dos quatro caminhos; os trens turísticos da Estrada Real; e as principais atividades do Instituto Estrada Real.

18h30 - Apitaço: show de apitos e fumaça da Baroneza II

18h45 - Palestra “As Ferrovias do Rio de Janeiro: ontem, hoje e amanhã”
Palestrante: Hélio Suêvo Rodriguez, engenheiro ferroviário, membro da Academia Ferroviária de Letras, diretor da AFPF, autor do livro “A Formação das Estradas de Ferro no Rio de Janeiro”
Um interessante relato sobre as diferentes fases da era da ferrovia no Estado do Rio de Janeiro - época áurea (anos 1940/1960), o declínio e sucateamento ( década de 1990) e as perspectivas da volta do trem e os trens turísticos no nosso estado.

20h - encerramento

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.