Maior evento de cultura multilinguagem do Brasil tem entre os destaques Ney Matogrosso, Clarice Falcão, “Bilac vê estrelas”, “Estúpido cupido”, Mostra de Cinema Brasileiro Contemporâneo, VJs Suave e Chico Abreu, “Livre Reino Aéreo do Devaneio”, homenagem a Manoel de Barros e as exposições MultiTempo e #O Tempo Narrador

Mais de 930 horas de programação, com 250 apresentações culturais protagonizadas por 420 artistas. Esses são alguns números da 15ª edição do Festival Sesc de Inverno, maior evento de cultura multilinguagem do Brasil que acontece de 12 a 21 de agosto em Petrópolis, Teresópolis e Nova Friburgo, na região Serrana do Rio. Em 10 dias, serão 53 apresentações musicais, 35 sessões de 21 espetáculos de artes cênicas, exibição de 31 curtas-metragens e 11 longas, 3 exposições de grande porte, 1 instalação tecnológica, além de diversas oficinas, contações de história, encontros literários, lançamentos de livros, shows poéticos, saraus, intervenções urbanas e seminários.

A maioria da programação é gratuita, e as pagas têm ingressos de até R$ 20. Realizado peloSesc RJ – braço sociocultural do Sistema Fecomércio RJ –, o evento tem o apoio do Sindicato do Comércio Varejista de Petrópolis (Sicomércio Petrópolis).

Em Petrópolis,a programação está repleta de atrações, a maioria delas no Sesc Quitandinha. A maratona cultural começa comNey Matogrosso, no dia 12 de agosto, com o show “Atento aos sinais”, que já passou por Portugal, Argentina, Uruguai e pelas principais capitais do país, estando perto de contabilizar 100 apresentações.

Cantora que ganhou projeção depois do sucesso da websérie Porta dos Fundos, Clarice Falcão se apresentará no mesmo palco, atração que promete ser concorrida, principalmente entre os jovens. Ainda na música, o Sesc Quitandinha receberá shows de duos inéditos, ou seja, cantores de destaque que pela primeira vez cantarão juntos. Entre eles, Paulinho Moska e Tiê, Marisa Orth e Johnny Hooker, Paula Lima e Rael.
Os 100 anos do samba serão lembrados no shows dasDamas do Samba na Roda (Nilze Carvalho, Ana Costa, Áurea Martins e Luiza Dionizio) e de Zé da Velha e Silvério Pontes no Sesc Quitandinha.

Espetáculos para todos os gostos
Peças de teatro de teatro de grande sucesso nos palcos do Rio e do Brasil também estão na programação do evento, como“Bilac vê estrelas”. Baseado no livro homônimo de Ruy Castro e ambientada no Rio do início do século passado, o espetáculo conquistou os prêmios da APTR e Shell, os mais importantes do país.“Estúpido cupido”, musical com Françoise Forton e que reproduz uma festa embalada
por músicas dos anos 60 e 70, também está entre os destaques, assim como“Galileu Galilei”, com Denise Fraga, e “Love story”, baseado no clássico do cinema dos anos 70. Destaque internacional do Festival, duas companhias de dança francesas fazem suas estreias nacionais nos palcos do Sesc: "Nervures"(L´Experiénce Harmaat Fabrice Lambert - Paris/França) e "Contigo" (La Cie O Último Momento-Toulouse/França).
Ao longo dos 10 dias, haverá exibição de uma série de curtas e longas metragens para todos os gostos e idades. Ao final das sessões, realizadores participam de debates com o público. Na Mostra de Cinema Contemporâneo, destaque para a exibição de “Ralé”, que traz Ney Matogrosso no papel de um ex-viciado em heroína de origem aristocrática. Participam do bate-papo a diretora Helena Ignêz e a atriz Simone Spoladore.
Já os atores Naomi Nero e Dani Nefussi participam de debate com o público após a exibição do drama“Mãe só há uma”, sobre um rapaz que descobre, depois de um exame de DNA, não ser filho biológico de sua “mãe”. Até a fachada do Sesc Quitandinha se transformará em uma grande tela para os trabalhos dosVJs Suave e Chico Abreu. Assim como fizeram em cidades brasileiras e europeias, os artistas farão projeções de artes gráficas e animações no local. Indicado ao Oscar deste ano, o longa de animação“O Menino e o Mundo” terá sessão ao ar livre, na Praça 14 Bis, no centro de Petrópolis.


Extensa programação literária
A programação literária ganha dinamismo este ano, com atrações que tratam o universo das letras de forma lúdica. É o caso de“Livre Reino Aéreo do Devaneio”, um espetáculo de poesia, falada e cantada, que promove uma experiência cênica da palavra a partir da performance dos poetas. Assim como na edição anterior, o Festival Sesc de Inverno prestará homenagem a um grande nome das letras. Em Petrópolis, será Manoel de Barros (1916-2014), que completaria seu centenário neste ano. Serão exibidos o documentário“Só dez por cento é mentira” e o filme “Lingua de brincar”, ambos sobre a vida e a obra do escritor mato-grossense seguidos de conversa com o diretor, poeta e cineasta Pedro Cezar e mediação de Luiz Nadal. O sarau poético"De mano para Manoel" também homenageará o poeta dando uma roupagem rap à sua obra.
Os 15 anos de Festival Sesc de Inverno serão lembrados na exposiçãoMultiTempo. A instalação montada na cúpula do Sesc Quitandinha terá imagens que resgatam a história do evento em meio a recursos tecnológicos e visuais que oferecem ao visitante uma experiência imersiva. O tempo, tema desta edição do Festival, é o objeto de reflexão contido nas obras de 17 artistas que compõe a exposição #O Tempo Narrador, com curadoria do Sesc RJ. Os trabalhos são apresentados em fotografia, vídeo, instalação, entre outras plataformas contemporâneas. A mostra busca expressar, compreender e instigar as diversas formas de mensurar e sentir o tempo.

O Festival Sesc de Inverno 2016 apresenta o mote “Reinventando o momento”. Trata-se de um convite ao público para, em tempos de evolução da tecnologia e velocidade da informação, refletir sobre a possibilidade de abstrair o tempo e o espaço para aguçar a percepção sobre a arte, possibilitando novas experiências. A programação completa será divulgada no site: www.festivalsescdeinverno.com.br.

SERVIÇO
Festival Sesc de Inverno 2016
De 12 a 21 de agosto
Petrópolis – Sesc Quitandinha
Ingressos: Até R$ 20

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.